Filme

A bacia de JW

  • Le Bassin de J.W.

Sinopse

Em "Le Bassin de John Wayne", João César Monteiro parte de diálogos de diversos textos de August Strindberg, Pier Paolo Pasolini, Teixeira de Pascoaes e de André Breton, e o filme constrói-se por quadros, onde a coerência não é a da ordem narrativa, mas a do fluxo de uma exposição crua dos sentimentos e de notórias obsessões (temas que João César Monteiro sempre explorou com tanta mestria). A fotografia do filme (que esteve a cargo de Mário Barroso) é excelente e a adopção de grandes planos faz-nos por vezes lembrar o cinema de Pasolini. Só a nível de curiosidade; o título do filme (que impressiona logo pela estranheza) é difícil de decifrar, mas faz referência às palavras do, já falecido, crítico dos "Cahiers du Cinèma", Serge Daney, referente ao andar característico de John Wayne com uma peculiar oscilação da bacia.

Comentários