Críticas

Mães à Solta 2

Bad Mom's Christmas

Crítica "Mães à Solta 2": Baralha e volta a dar

Um filme que Mila Kunis, Kristen Bell e Kathryn Hahn, a que se juntam Susan Sarandon, Christine Baranski e Cheryl Hines.

Depois de "Bad Moms" nos ter mostrado que as mães Mila Kunis, Kristen Bell e Kathryn Hahn precisavam de mais apoio, "Bad Moms Christmas" coloca-nos na energia da época mais atarefada do ano.

Quantos de nós não vemos as nossas mães no Natal, com tanta tralha para embrulhar, tantas rabanadas e bilharacos para cozinhar, ao som de Kenny G, de sorriso nos lábios, felizes por terem os filhinhos em casa, a esconder o quão sufocadas estão, a pensar que já está na altura de largares a porcaria da consola e a lareira e de vires ajudar? E quantos não vêem as avós, sentadinhas com a mantinha pelas pernas, a descascar castanhas, enquanto rezingam a vida de toda a gente, a orquestrar onde cada um se vai sentar?

Pois, "Bad Moms Christmas" ou "Mães à Solta 2" é isso mesmo: a azáfama do Natal com a ajuda indesejada das impertinentes e controladoras avós: a negligente Susan Sarandon, a controladora Christine Baranski e a carente Cheryl Hines, mães respectivas de Hahn, Kunis e Bell.

Distribuindo a história pelas três famílias, a premissa assenta na vontade das filhas retomarem o Natal para si, à sua moda, sem a pressão e a responsabilidade da mesa perfeita, da prenda perfeita, da comida perfeita. Mas as relações conflituosas com as suas mães, colocam entraves nos seus planos e a pouco e pouco vão ficando uma pilha de nervos.

Com a comédia selvagem e picante sempre presente, é Kathryn Hahn a desbocada de serviço, desta vez acompanhada por Susan Sarandon, no papel de uma "ex-roadie" incorrigível que, de vez em quando, faz umas visitas à filha para levantar uns cobres. A comédia de costumes também tem espaço, com Christine Baranski a roubar as cenas com o seu ar empertigado, obsessivo e repleto de espírito natalício americano, remetendo Mila Kunis para mera função de espelho que debita algumas caras de espanto. Finalmente, a dupla Cheryl Hines e Kristen Bell, com uma relação de demasiado apego, ficaram com a história mais insípida e nota-se o esforço para espremerem as piadas más de um guião mal embrulhado.

Com um "casting" sólido, vale o fantástico ambiente de estúdio que transparece para o grande ecrã, onde vemos seis atrizes divertidas e empolgadas por estarem juntas. Curiosamente estreado fora de época, "Mães à Solta 2" assenta na fórmula da comédia geracional em época festiva, onde se baralha e volta a dar, com a adição de novas personagens, novos cenários, mas os mesmos conflitos.

Aguardemos pelo que fará "Pai só há um...ou Dois", filme de Will Ferrell e Mark Wahlberg, que terão de lidar com os seus pais intrusivos durante as férias de Natal...

Crítica: Daniel Antero

Trailer

Artigo do parceiro

Cinemic

Filmes nesta crítica

Comentários