Artigo

Sting leva muitos ao Super Bock Super Rock pela primeira vez

Sting é a razão que leva hoje muitas pessoas, pela primeira vez, ao festival Super Bock Super Rock (SBSR), que decorre até sábado, no Parque das Nações, em Lisboa.



Numa volta pelo recinto, pelas 17:30, hora a que começou o primeiro concerto do dia, a Lusa encontrou vários estreantes no SBSR, que este ano regressa a Lisboa, após quatro anos no Meco.

O festival dura três dias, mas Fátima, de 54 anos, só vem hoje, por causa de Sting, que nunca viu ao vivo. Uma estreante em festivais de Verão, considera o recinto "muito bem organizado e arranjado".

Filomena, de 45 anos, partilha a opinião quanto ao recinto: "o espaço está bem conseguido". Tal como Fátima, Filomena é também uma estreante no SBSR e em festivais de Verão. A razão para esta primeira vez: Sting.

O músico britânico foi também a razão para Luís Godinho, de 51 anos, se estrear hoje no SBSR. Com algum receio, por causa do calor que está hoje em Lisboa, Luís ficou agradavelmente surpreendido com o recinto. "Tem sombras e algumas comodidades. Julguei que ia passar um bocado mal com o sol e o calor, mas as condições são boas", referiu.

Acabados de chegar ao recinto, Carla e Pedro, ambos com 45 anos, ficaram bem impressionados com o que viram. "Parece bem organizado, tem muita variedade de comida, deram-nos indicações precisas", disse Carla. O concerto que querem ver hoje: "Sting, sem dúvida".

Mas nem só de estreantes vive o festival. José Peres, de 22 anos, esteve em 2011 no Meco e regressou este ano, por causa de Sting, "um grande nome da música", e por causa da Banda do Mar e Blur.

Apesar de estar com "algum receio com o MEO Arena [onde está um dos palcos]", porque "não é muito ambiente de festival", destaca o facto de o recinto ser "muito agradável" e ter "muita sombra". "Não tenho pó na minha cara, que é o que me lembro do Meco", disse.

Inácio, de 52 anos, estreia-se hoje no SBSR, mas já esteve noutros festivais. "O recinto é maravilhoso, fantástico. Foi muito bem escolhido", disse. Hoje quer ver Sting e Noel Gallagher, o segundo é também a atuação mais aguardada para um dos filhos de Inácio, António, de 14 anos. Já o outro filho, Mário, também com 14 anos, prefere os Milky Chance.

As amigas Marta e Carolina, de 16 e 17 anos, estão também pela primeira vez no SBSR, mas, ao contrário da maioria, não estão ali por Sting, mas sim pelos The Vaccines e Florence and the Machine.

O SBSR celebra vinte anos de existência, com o lema: "O rock voltou à cidade", já que voltou a mudar de localização, trocando o espaço arenoso, perto da praia do Meco (Sesimbra), por um recinto entre o Pavilhão de Portugal e o Meo Arena, na zona oriental de Lisboa.

Até sábado, o festival contará com cerca de 50 concertos repartidos por quatro palcos. A lotação no recinto foi fixada em 20.000 pessoas por dia.

Por causa da nova lei de venda e consumo de álcool, a organização disponibilizará uma pulseira - não obrigatória - para maiores de 18 anos, mediante apresentação de identificação.

@Lusa

Comentários