Artigo

Zeca Afonso interpretado por núcleo da UPorto nas comemorações do 25 de Abril

Zeca Afonso vai ser recordado no 40.º aniversário do 25 de Abril na peça de teatro Brado da Terra que o Núcleo de Etnografia e Folclore da Universidade do Porto (NEFUP) vai levar a palco a 24, no Teatro Helena Sá e Costa.

“Zeca Afonso é um dos grandes símbolos da liberdade em Portugal. Fiéis aos nossos objetivos de divulgação etnográfica, pesquisámos as canções tradicionais que ele interpretou e criámos um espetáculo constituído por um conjunto de histórias interligadas que revisitam o passado do país”, explica Helena Queirós, do NEFUP.

Este espetáculo foi construído com base em 15 canções populares tradicionais que integram a obra discográfica de José Afonso.

A expressão que dá nome ao espetáculo é da autoria do próprio músico (”Só Ouve o Brado da Terra”) e, segundo o NEFUP, “identifica também a preocupação que o grupo colocou na defesa da cultura popular tradicional em todos os trabalhos que apresenta”.

“Dentro do espírito da época, demo-nos toda a liberdade para escolhermos algumas da versões tradicionais, recriarmos as versões de José Afonso, criarmos as nossas próprias interpretações ou brincarmos entre diferentes versões populares, as do Zeca e as nossas”, explicou Helena Queirós.

O espetáculo inclui 15 canções tradicionais e quatro danças, mas é encenado teatralmente, percorrendo o país e muitas das suas tradições, mantendo sempre a cultura popular como pano de fundo.

O Brado da Terra aborda temas como o amor, guerra, emigração, tristezas e alegrias de uma época que marcou a história de Portugal.

“Não pretendemos recriar historicamente uma época, antes remeter para um imaginário pré-revolucionário que invoca também outras épocas passadas e nos faz refletir sobre o presente, afinal, tão próximo dos tempos de outrora”, concluiu.

@Lusa

Comentários