Pessoa

Cristina Carvalhal

Cristina Maria Metelo Recto Carvalhal

  • PT

  • Nasceu a 11 de Setembro de 1966

Cristina Maria Metelo Recto Carvalhal (Lisboa, 11 de Setembro de 1966) é uma actriz e encenadora portuguesa. Filha de Francisco Manuel Carvalhal e Aida de Almeida Desterro Recto, tem um irmão mais novo de nome Pedro Manu...

Cristina Maria Metelo Recto Carvalhal (Lisboa, 11 de Setembro de 1966) é uma actriz e encenadora portuguesa. Filha de Francisco Manuel Carvalhal e Aida de Almeida Desterro Recto, tem um irmão mais novo de nome Pedro Manuel.

Bacharel em Teatro/Formação de Actores, pela Escola Superior de Teatro e Cinema, estreou-se profissionalmente no Teatro Aberto com a peça A Dama do Maxim’s de Feydeau, sob a direcção de João Lourenço (1987), encenador com que continou a trabalhar regularmente até à década de 90 em espectáculos como A Rua de Jim Cartwrighit, Romeu e Julieta de Shakespeare (Prémio de Actriz Revelação pelo jornal Se7e), Happy End a partir de Brecht e Kurt Weill, Desejo Sobre Ulmeiros de Eugene O'Neill, O Suicidário de Nicolai Erdman, Um Sabor a Mel de Shelag Delaney e Ópera dos Três Vinténs de Brecht. Trabalhou ainda em peças dirigidas por Fernanda Lapa (como A Rapariga da Varsóvia de Mario de Carvalho, Top Girls de Caryl Churchill ou As Bacantes de Eurípedes), Diogo Infante, Ana Nave, Graça Correia, Isabel Medina, Fernando Gomes e, recentemente interpretou Hotel dos Dois Mundos de Eric-Emmanuel Shcmitt encenado por Cucha Carvalheiro no Teatro Nacional.

Assistente de encenação de Natália Luíza, dirigiu, como encenadora, Eu Sei Que Vou Te Amar de Arnaldo Jabor, no Teatro Villaret (2002) e Erva Vermelha de Boris Vian, no Teatro da Trindade (2006).

Regular na televisão, onde interpretou autores como Tchekov ou Eça de Queiroz e trabalhou com Jorge Listopad, Luís Filipe Costa e Artur Ramos, integrou o elenco de séries como A Mala de Cartão (1998) ao lado de Irene Papas; Jornalistas (1999); A Febre do Ouro Negro (2000).

No cinema estreou-se em 1989 no filme Um Passo, Outro Passo e Depois... de Manuel Mozos, realizador que também a dirigiu em Xavier (1992) e Adão e Eva (1995). Apareceu depois em películas de Rui Goulart, Luís Filipe Rocha, Joaquim Leitão, Margarida Gil e, recentemente, trabalhou com Solveig Nordlund em A Filha (2003).

Adaptado de Sapo Saber a 27-02-2010

Comentários