Pessoa

Dino Risi

Dino Risi

  • IT

  • Nasceu a 23 de Dezembro de 1916

  • Faleceu a 07 de Junho de 2008

Dino Risi (Milão, 23 de Dezembro de 1916 — Roma, 7 de Junho de 2008) foi um cineasta italiano. Considerado um dos pais da comédia italiana, Risi realizou 54 filmes ao longo de meio século, em que retratou subtilmente a...

Dino Risi (Milão, 23 de Dezembro de 1916 — Roma, 7 de Junho de 2008) foi um cineasta italiano. Considerado um dos pais da comédia italiana, Risi realizou 54 filmes ao longo de meio século, em que retratou subtilmente a sociedade italiana.

Vida


Risi formou-se em medicina em sua cidade natal, onde se especializou em psiquiatria. Antes de se lançar no cinema, ele foi crítico, roteirista e produtor de documentários. Durante a Segunda Guerra Mundial, Risi se refugiou na Suíça onde estudou cinema com o actor e director belga Jacques Feyder.

Iniciou sua carreira como assistente de Mario Soldati em "Piccolo Mondo Antico", de 1941, e de Alberto Lattuada em "Giacomo l'idealista", de 1942. Filmou cerca de 20 curtas na década de 1940.

Na década de 1950, Risi se instalou em Roma. Lá, começaria a se consagrar no cinema, se tornando um dos grandes realizadores das comédias italianas, ao lado de Ettore Scola, Luigi Comencini, Mario Monicelli e Pietro Germi.

Em 1951, filmou "Vacanze Col Gangster" (conhecido como "Férias com o Gângster" no Brasil). Começou a fazer sucesso com "Il Segno di Venere" ( "O Signo de Vênus" no Brasil) e "Pane, Amore E..." ( "Pão, Amor e..." no Brasil), ambos de 1955 e estrelados pela dupla Sophia Loren e Vittorio De Sica. Ao longo de sua carreira cinematográfica, Risi trabalharia com outros actores cómicos como Vittorio Gassman, Ugo Tognazzi, Alberto Sordi e Monica Vitti.

O êxito de "Poveri Ma Belli" ( "Pobres, Mas Belas" no Brasil), lançado no ano seguinte, foi tão grande que gerou duas continuações com os mesmos personagens: "Bella Ma Povere" ( "Pobres, Porém Formosas" no Brasil), de 1957, e "Poveri Milionari" ( "Pobres Milionários" no Brasil), de 1959.

Outros grande sucesso na carreira de Risi foi "Il Sorpasso" ( "Aquele que Sabe Viver" no Brasil), de 1962, filme que é considerado a obra-prima do cineasta, onde ele explora as principais características de sua obra cinematográfica: crítica social, humor corrosivo, compreensão profunda das fraquezas humanas e consciência melancólica da passagem do tempo. No ano seguinte, outro sucesso com "I Mostri" ( "Os Monstros" no Brasil).

Mais dois destaques da carreira de Risi são "In Nome Del Popolo Italiano" ( "Esse Crime Chamado Justiça" no Brasil), um de seus filmes com maior teor de crítica social, e "Profumo Di Donna" ( "Perfume de Mulher", no Brasil), de 1974, que teve no elenco com Vittorio Gassman e Agostina Belli. O filme recebeu o prémio César de melhor filme estrangeiro. Futuramente, ganharia um remake norte-americano, estrelado por Al Pacino.

Já nas décadas de oitenta e noventa, a obra de Risi perdeu a força e seus últimos trabalhos foram para a televisão. Em 2002, Dino Risi recebeu um Leão de Ouro do Festival de Cinema de Veneza pelo conjunto da obra. Em 7 de Junho de 2008, Risi morreu em Roma, aos 91 anos.

Retirado de Sapo Saber a 25-07-2010

Comentários