Pessoa

Letícia Sabatella

Letícia Sabatella (Belo Horizonte, 8 de março de 1972) é uma actriz brasileira.

Letícia Sabatella (Belo Horizonte, 8 de março de 1972) é uma actriz Brasil.

Biografia


Letícia tinha dois anos de idade quando sua família se mudou para a cidade mineira de Volta Grande. Lá seu pai trabalhava como engenheiro em uma usina hidrelétrica. Ela conta que aprendeu a gostar da Natureza nesse lugar cheio de verde e de pessoas de diferentes nacionalidades. Hoje, possui um sítio em Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro.

Mudando-se para Curitiba, Letícia viveu nessa cidade dos quatro aos vinte anos. Lá começou a se interessar por arte: fez cursos de balé e teatro. Ingressou em uma escola de arte dramática, mas só ficou dois anos porque fez um teste na TV Globo e foi convidada para o seriado Os Homens Querem Paz, em 1991. Logo a seguir fez sua primeira novela - O Dono do Mundo.

Letícia conta que seu amadurecimento custou caro e veio com três experiências dolorosas. A primeira foi a morte por leucemia de seu namorado de adolescência. A segunda foi o nascimento prematuro de sua filha Clara, que a obrigou a morar no hospital com o marido Ângelo Antônio por três meses. A terceira foi a separação conjugal em 2003, que a levou a procurar ajuda psicológica e espiritual.

Sua consciência política surgiu cedo na vida e foi reforçada pela companhia de pessoas como Frei Beto e Herbert de Souza, que lhe mostraram a importância de usar sua celebridade para algo mais do que ganhar dinheiro. Seu engajamento se tornou tão forte que chegou a conviver com os índios krahôs (no Tocantins), como se fosse um deles, e a acampar com integrantes do Movimento dos Sem Terra para entender sua proposta. Além disso, participa de várias entidades, é presença constante em fóruns, levanta a voz em defesa dos direitos humanos e do meio ambiente.

Sua experiência com os índios a levou a iniciar uma carreira como cineasta. Em 2009, ela pretende lançar o documentário Hotxuá. " Foram os índios que me pediram esse registro. Daí veio a idéia de falar sobre o Hotxuá, o palhaço sagrado, que tem a função de manter a auto-estima da tribo e fazê-la superar as dificuldades através do humor", explicou.

Em 2009, Letícia interpreta a primeira vilã de sua carreira na novela Caminho das Índias, de Glória Perez.

Trívia


Sei que há muito a ser conquistado, em especial na relação com os homens. A sociedade ainda é miseravelmente patriarcal e machista. Mas não fico observando tanto essa diferença de gênero com quem convivo. Hoje, as mulheres exercem com mais liberdade sua capacidade amorosa de gestar a transformação e a revolução, com poder de participar de decisões que antes eram só deles. Elas necessitam cada vez menos de um homem para se sentirem valorizadas.

Pensamentos de Letícia

Fui sentindo um frio na espinha e perguntei “E aí, tudo bem?”. Aí eles ficaram me olhando e disseram: “Peraí, conheço você de algum lugar. Eu disse: “Eu também. Bonito você, qual é seu nome? Você é artista, não é? Aí comecei a perguntar um monte de coisa. Aí fomos conversando até a igrejinha, quando eles me perguntaram se não tinha medo de andar sozinha por aí. Perguntei: “Medo de quê, de ser assaltada?”. “Não... Nunca te assaltaram?”, eles perguntaram. “Já tentaram”. “E aí?”. A gente foi conversando e ficamos amigos, somos amigos até hoje. “E vocês, o que fazem? “Você não sabe?”. “Imagino... Mas vocês não são ligados ao tráfico, né?” “Somos também”. “Ah, por que, gente, deixa disso, não vale a pena, vamos ver minha peça, estou ali no SESC de Copacabana, e comecei a falar. Antes de ir embora, um deles falou: “Você faz um favor pra mim? Dá um autógrafo pra minha mãe? Há muito tempo ela não tem motivo pra ter orgulho de mim”.

Retirado de Sapo Saber a 03-04-2011

Comentários