Pessoa

Mary Astor

Lucile Vasconcellos Langhanke

  • US

  • Nasceu a 03 de Maio de 1906

  • Faleceu a 25 de Setembro de 1987

Mary Astor (Quincy, 3 de Maio de 1906 — Los Angeles, 25 de Setembro de 1987) foi uma actriz norte-americana.

Mary Astor (Quincy, 3 de Maio de 1906 — Los Angeles, 25 de Setembro de 1987) foi uma actriz norte-americana.

Biografia


Nascida Lucile Vasconcellos Laghanke, era filha de um imigrante alemão, Otto Ludwig Langhanke, e de uma estadunidense de Illinois, Helen Marie Vasconcellos, descendente de portugueses e irlandeses. Iniciou a carreira no cinema com pequenas participações, e muitas vezes não creditada, em 1921, no filme Sentimental Tommy ("Tommy, o Sentimental"), aos 15 anos de idade, em uma cena que acabou sendo cortada do filme.

Fez a partir de então pequenos papéis, até que em 1924 John Barrymore a impôs como sua parceira no filme Beau Brummel ("O Belo Brummel"). Teve uma vida agitada: um tempestuoso caso com Barrymore, quatro casamentos, foi vítima do alcoolismo e teve uma tentativa de suicídio. Quando foi ao tribunal lutar pela custódia da filha, na década de 30, a revelação de seu diário íntimo foi um dos grandes escândalos da época, e sua carreira sofreu uma queda. Teve uma filha com o segundo marido, e um filho, Antonio, do terceiro casamento com Manuel del Campo.

Escreveu duas autobiografias: My Story e Life on Film, mas após uma doença cardíaca, começou a escrever novelas, num asilo para artistas, na Califórnia.

O trabalho da actriz, seja como heroína ou como vilã, misturava sempre sua beleza sombria com sensualidade. A consagração veio em 1941, com o Oscar de melhor actriz coadjuvante pela actuação no filme A Grande Mentira.

Retirado de Sapo Saber a 17-11-2009

Comentários