Pessoa

Peter Jackson

  • NZ

  • Nasceu a 31 de Outubro de 1961

Peter Jackson (Pukerua Bay, 31 de Outubro de 1961) é um argumentista, cineasta e produtor de filmes neozelandês. Filho de Bill e Joan Jackson, ambos imigrantes ingleses, ficou conhecido por dirigir a trilogia épica...

Peter Jackson[/b] (Pukerua Bay, 31 de Outubro de 1961) é um argumentista, cineasta e produtor de filmes neozelandês. Filho de Bill e Joan Jackson, ambos imigrantes ingleses, ficou conhecido por dirigir a trilogia épica O Senhor dos Anéis, adaptada por ele, juntamente com Fran Walsh e Philippa Boyens da obra de J.R.R. Tolkien.

Um dos seus primeiros filmes, um sucesso do género trash, é Braindead ( 1992). Mais tarde, pelo seu filme Heavenly Creatures ( 1994), Jackson dividiu uma indicação para o Óscar de Melhor Roteiro Original com a sua esposa, Fran Walsh. O casal tem dois filhos, Billy Jackson e Katie Jackson.

Quando um amigo dos seus pais presenteou o pequeno Peter Jackson, aos seus 8 anos, com uma câmara Super 8, o garoto, que já se divertia tirando fotos, começou a fazer os seus próprios filmes, que gravava com os seus amigos. Eles eram curtos, mas já mostravam uma das características principais do futuro cineasta: efeitos especiais impressionantes e a baixo custo. Jackson começou a desenvolver projectos mais sérios a partir da sua entrada num concurso local que procurava estimular filmes amadores e infantis. Para esse concurso ele utilizou o recurso de animação em stop motion para criar um monstro arruinando uma cidade, mas infelizmente não chegou a vencer.

Aos 22 anos, um dos seus projectos mudou o rumo da sua carreira cinematográfica. O filme trash Bad Taste começou como qualquer outro filme de Peter Jackson: de forma amadora, com poucos recursos e com os seus amigos actuando e auxiliando-o. Ele mesmo fez o filme praticamente sozinho, dirigindo, produzindo, filmando e estrelando em vários papéis, inclusive o de herói. Levou cerca de quatro anos para finalizar o filme, que cresceu de meia hora de duração, conforme o planeado, para um longa metragem de 90 minutos.

O que começou como uma piada, transformou-se num clássico. Um amigo de Jackson, que já estava envolvido na indústria cinematográfica, convenceu-o que o filme tinha atractivos comerciais, então decidiram levar o resultado final ao Festival de Cannes. Lá, o filme foi aclamado pelos críticos e ganhou vários prémios. Bad Taste agradou principalmente pelo seu humor bizarro e pelo excesso de efeitos especiais, alguns realísticos, outros hilariantes graças ao seu visual amador. Os direitos do filme foram vendidos a doze países, e Peter Jackson tornou-se um director reconhecido, iniciando então a sua carreira profissional como cineasta.

Diferente de outros directores neozelandeses, Jackson permaneceu na Nova Zelândia para fazer os seus filmes, fazendo com que Hollywood viesse até ele. Esse foi o início de várias companhias de suporte e produção. Grande parte dos seus bens estão localizados na Península de Miramar, em Wellington, e muitos dos seus filmes passam-se ao redor da cidade.

Um perfeccionista em relação aos seus projectos, Jackson demanda vários takes de cada cena (sempre pedindo "mais um para dar sorte"), exige que a sua equipe de efeitos especiais faça os seus trabalhos sem falhas e insiste na fidelidade das miniaturas mesmo nos lados que nunca aparecem. Ao contrário do que se possa imaginar, algumas das suas mais belas cenas foram captadas enquanto voava de uma locação à outra, casualmente. Apesar do seu perfeccionismo, ele tem a reputação de pedir um orçamento mais barato para os seus filmes que outros directores.

O filme que seguiu à finalização da trilogia O Senhor dos Anéis foi o remake do clássico de 1933 King Kong, que inicialmente inspirou Peter Jackson a se tornar um cineasta, aos 9 anos. Segundo foi anunciado, a Universal Studios pagou-lhe 20 milhões de dólares adiantados mais 20% do total da bilheteira. O filme foi lançado em 14 de Dezembro de 2005 e o elenco inclui a actriz indicada ao Óscar Naomi Watts, o vencedor do Óscar de melhor actor Adrien Brody, Jack Black, Colin Hanks e Andy Serkis. A produção de King Kong custou mais de 200 milhões de dólares e o corte final tem duração de mais de três horas, superando em ambos os aspectos o filme original de 1933.

A sua atenção agora deverá mover-se para a sua versão cinematográfica do best-seller de Alice Sebold intitulado "Uma vida interrompida: Memórias de um Anjo Assassinado" (The Lovely Bones, no inglês, no original). O filme será escrito e dirigido por Jackson, que alegou sentir-se aliviado por se afastar um pouco dos épicos de larga escala e voltar a se aproximar aos seus filmes anteriores como Heavenly Creatures.

Peter Jackson também está envolvido como produtor executivo no filme Halo, uma adaptação do jogo do mesmo nome, que ele próprio alega ser fã e jogar nas horas vagas. O filme está sendo esperado para o meio de 2007.

Retirado de Sapo Saber a 11-08-2009

Comentários