Pessoa

Samuel L. Jackson

Samuel Leroy Jackson

  • US

  • Nasceu a 21 de Dezembro de 1948

Samuel Leroy Jackson (Washington, DC, 21 de Dezembro de 1948) é um actor norte-americano. Alcançou a fama no início da década de 1990, após uma série de actuações relevantes, tornando-se desde então um astro e ícone cultural, aparecendo em grande número de filmes e dobragens.

É casado com Latanya Richardson e tem uma filha. Fã de desportos, dedica-se particularmente ao golfe. Recebeu diversos prémios pelas suas atuações cinematográficas, e actua em diversas media além de filmes: séries de televisão, e dobra videogames, etc. Samuel declarou que os filmes permitem-no " fazer coisas que via quando criança".

Biografia

Embora tendo nascido na capital norte-americana, cresceu como filho único em Chattanooga, no Tennessee, com a sua mãe, Elizabeth Jackson (nome de solteira Montgomery), que trabalhava numa fábrica e depois foi fornecedora de materiais para uma instituição mental, com os seus avós maternos e parentes. O seu pai viveu longe da família, em Kansas City (Missouri), onde morreu de alcoolismo; Jackson viu o pai somente duas vezes, na vida.

Em Chattannooga estudou na Riverside High (actualmente denominada Chattanooga School for the Arts and Sciences), uma escola segregada onde, durante alguns anos, tocou trompa e trompete, na orquestra escolar. Fez faculdade na Morehouse College, de Atlanta, onde co-fundou um grupo chamado "Just Us Theater". Formou-se em 1972.

Activista pelos direitos civis

Depois do assassinato em 1968 do líder pacifista pela igualdade racial nos Estados Unidos, Martin Luther King Jr., Jackson participou do funeral como um dos recepcionistas. Dali voou para Memphis, para participar da marcha pela igualdade. Numa entrevista na revista Parade, Jackson revelou: " Eu estava com raiva por causa do assassinato, mas não fiquei chocado com isto. Eu sabia que a mudança levaria a algo diferente - não a protestos pacíficos, não uma coexistência tranquila."

Em 1969 Jackson e muitos outros estudantes mantiveram presos como reféns no Campus vários membros do Morehouse College (inclusive o Sr. Martin Luther King), exigindo mudanças no currículo e na administração escolares. O colégio aceitou algumas das reivindicações, mas Jackson foi suspenso por dois anos em consequência de seus actos (embora para lá retornasse, obtendo o seu bacharelado em Artes Dramáticas, em 1972).

Jackson decidiu permanecer em Atlanta, junto a Stokely Carmichael, H. Rap Brown e outros activistas do movimento Black Power. Na mesma entrevista à Parade, ele revelou que sentiu o seu envolvimento com o movimento a aumentar, especialmente quando o grupo começou a comprar armas. Mas, antes de se envolver em qualquer luta armada significante, a sua mãe o enviou para Los Angeles, depois que o FBI informou que morreria dentro de um ano se continuasse envolvido com o Black Power.

Vida pessoal

Jackson casou-se com a actriz Latanya Richardson em 1980, que conhecera ainda nos tempos do Morehouse College. O casal, que vive em Los Angeles, tem uma filha - Zoe - nascida em 1982, estudante de culinária.

Jackson é um fã de basquetebol, tendo especial predilecção pelas equipes do Toronto Raptors e dos Harlem Globetrotters. Apesar de o futebol não ser parte da cultura norte-americana, é torcedor do Liverpool F.C., time que conheceu durante as filmagens de The 51st State na cidade inglesa de Liverpool.

É um entusiasta jogador de golfe, desporto que aprendeu a jogar e apreciar. Declarou certa feita que, se tivesse de escolher outra carreira, tentaria " jogar golfe na PGA tour" e que no campo de golfe é o único lugar em que pode ir " vestido como um gigolô e ser perfeitamente aceite". Ele declarou, numa entrevista, que os seus contratos de filmagem têm uma cláusula que o permitem jogar golfe duas vezes por semana.

Numa entrevista, revelou que assiste a todos os seus filmes, como um espectador normal que paga ingresso nos cinemas e que " até nos meus anos de teatro desejava assistir às minhas peças, enquanto estava actuando! Eu cuido de vigiar o meu próprio trabalho". Sobre esse senso crítico de observar os seus próprios trabalhos, Jackson declarou, comparando o trabalho nos filmes e no teatro, que " Um dá gratificação imediata, e outro, a longo prazo. No teatro você faz algo que tem começo, meio e fim todos os dias. E sente que está dividindo a sua energia com o público. Ao fazer cinema, você tem que ter auto-confiança e sentir quando a cena está certa." Ele também gosta de coleccionar os bonecos dos personagens dos filmes em que actua ou dobra, como Jules Winnfield, Shaft, Mace Windu, e Frozone.

Jackson é calvo na vida real, embora nos seus filmes goste de usar perucas pouco usuais nos seus filmes. Para o filme Black Snake Moan, permitiram que ele escolhesse o penteado para o seu personagem. É fã de quadrinhos e de anime.

Em 2002 irritou-se com a acusação de que o personagem Jar Jar Binks tinha conotação racista por conta do sotaque jamaicano, declarou " Ele é um alienígena. Deixem o coitado em paz e curtam o filme." Durante o Festival de Cinema do Rio, em 2003, declarou-se favorável ao porte de armas, e que possuía uma.

Adaptado de Sapo Saber a 20-05-2010

Comentários