Pessoa

Steven Soderbergh

Steven A. Soderbergh

  • US

  • Nasceu a 14 de Janeiro de 1963

Steven Soderbergh (creditado algumas vezes em filmes como Peter Andrews ou Sam Lowry) (Atlanta, 14 de Janeiro de 1963) é...

Steven Soderbergh (creditado algumas vezes em filmes como Peter Andrews ou Sam Lowry) (Atlanta, 14 de Janeiro de 1963) é um cineasta norte-americano.

Quando adolescente descobriu o cinema fazendo pequenos filmes em super 8. Pegava o equipamento emprestado na Lousiania State University e fazia filmes inspirados em cineastas diversos, como Andrei Tarkovski.

Soderbergh também fez, eventualmente, free-lancers como editor de filmes. Tornou-se famoso por executar várias funções dentro de um mesmo filme, como direção de fotografia, edição, direcção e roteiro. Como a WGA proíbe que o cineasta exerça múltiplas funções dentro de um filme, ele assina sob diferentes pseudónimos.

Em 2001 tornou-se o terceiro director a ser indicado ao Óscar de melhor director em dois filmes, Traffic e Erin Brockovich (o primeiro foi Michael Curtiz, no ano 1939 e o segundo foi Francis Ford Coppola no ano de 1974 por O Poderoso Chefão - Parte II e A Conversação).

Foi também o vencedor mais novo da Palma de Ouro no Festival de Cannes, em 1989, pelo seu trabalho no filme de estreia na carreira, Sexo, Mentiras e Videotape.

Entrou no mundo da direcção quando filmou um espectáculo do grupo de rock Yes, o que lhe rendeu uma indicação ao Grammy. O vídeo do show foi o 9012 Live, em 1986.

Em 2006 lançou um plano ousado de distribuição de filmes, que tem seis experiências. O primeiro foi Bubble, um filme sem importância a não ser pelo fato de que, além do cinema, também foi, simultaneamente, lançado em DVD e na televisão paga. Esse facto ocorreu, em parte, pela mudança de costumes das pessoas, no mundo todo, já que elas já alugam mais DVDs, assistem mais a vídeos na web, também baixam filmes na rede e vêem muita televisão (aberta ou paga) do que simplesmente ir ao cinema.

Ele, que veio do meio cinematográfico independente, justificou-se, dizendo que o espectador, actualmente, quer ter mais controle sobre as formas de ver filmes; é um processo irreversível.


Retirado de Sapo Saber a 11-08-2009

Comentários