Pessoa

Vasco Pulido Valente

Vasco Pulido Valente, pseudónimo de Vasco Valente Correia Guedes (n. Lisboa, 21 de Novembro de 1941), ensaísta, escritor e comentador político português.

Vasco Pulido Valente, pseudónimo de Vasco Valente Correia Guedes (n. Lisboa, 21 de Novembro de 1941), ensaísta, escritor e comentador político português.

Proveniente de uma família com tradições intelectuais (é neto materno de Francisco Pulido Valente), licenciou-se em Filosofia na Universidade de Lisboa e obteve o grau de doutor História, na Universidade de Oxford. A sua tese de doutoramento, orientada por Raymond Carr e defendida em Maio de 1974, foi publicada em Portugal, com o título O Poder e o Povo: a revolução de 1910. É autor de vários livros sobre temas históricos e factos políticos, incluindo ainda várias biografias.

Professor, leccionou no Instituto Superior de Economia, no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa e na Universidade Católica Portuguesa. Actualmente é Investigador Coordenador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

Exerceu funções governativas, como Secretário de Estado da Cultura do VI Governo Constitucional, foi apoiante de Mário Soares na sua primeira candidatura presidencial, em 1986, e foi eleito deputado pelo Partido Social Democrata em 1995, apresentando a sua demissão ao fim de quatro meses, dizendo-se desiludido com a instituição e a vida parlamentar.

Colaborador assíduo da imprensa desde a década de 1960, integrou a redacção da revista O Tempo e o Modo e, desde 1974, destacaram-se as suas colunas (sobretudo de análise política) em O Independente, Expresso, Kapa, O Tempo, Diário de Notícias, escrevendo actualmente no Público. É também comentador do Jornal Nacional ( TVI). Foi co-argumentista dos filmes O Cerco, de António da Cunha Telles ( 1970) e Aqui d'El Rei!, de António-Pedro Vasconcelos ( 1992) e argumentista do filme O Delfim, de Fernando Lopes ( 2002).

Foi casado com a actriz Maria Cabral, e está casado actualmente com a jornalista Constança Cunha e Sá (pela segunda vez).

Retirado de Sapo Saber a 04-04-2011

Comentários