Artigo

Atriz Rebel Wilson recebe indemnização histórica na Austrália

A atriz australiana, conhecida pelos filmes "Um Ritmo Perfeito", ganhou ao grupo Bauer Media a maior indemnização atribuída por difamação na história da Austrália.

Rebel Wilson vai receber mais de 4,5 milhões de dólares australianos de indemnização, um pouco mais de três milhões de euros, mais juros e custos de tribunal, num caso por difamação contra o grupo Bauer Media.

O valor é quatro vezes superior ao anterior recorde na Austrália.

A atriz, conhecida a nível internacional pelos filmes "Um Ritmo Perfeito" e ainda "À Noite no Museu: O Segredo do Faraó" e "Como Ser Solteira", manifestou o seu alívio pelo fim de um longo processo em tribunal e mantém a intenção anteriormente anunciada de doar o dinheiro a instituições de caridade e para apoiar a indústria cinematográfica do país.

O processo envolvia uma série de artigos publicados nas revistas "Woman’s Day" e "Australian Women’s Weekly" que descreviam Rebel Wilson como uma mentirosa patológica sobre a idade, nome real e infância, forjando quase todos os aspetos da sua vida.

A atriz argumentou que os artigos eram falsos e faziam parte de uma longa e sustentada campanha de difamação para a prejudicar que acabou por fazê-la perder dois filmes e oportunidades de trabalho como atriz principal durante dois anos.

Em junho, um júri de seis pessoas concordou e agora surgiu a indemnização histórica.

"Não se é popular durante muito tempo em Hollywood, temos poucos anos até ficarmos fora de moda", disse Rebel Wilson após a vitória.

"Tiraram-me esses dois anos de fazer o que adoro, que é entreter pessoa e fazê-las rir", acrescentou.

No seu veredito, o juiz diz que a dimensão da difamação dos artigos "não tinha precedentes na história da litigação difamatória" na Austrália porque as alegações espalharam-se instantaneamente pela internet na mesma altura em que a comunicação social internacional estava atenta ao sucesso da atriz a seguir à estreia de "Um Ritmo Perfeito 2" em 2015.

Segundo o juiz, um dos artigos, da autoria de uma jornalista premiada, "transmitia a noção de que Ms. Wilson era tão falsa que nada do que diz pode ser levado a sério a não ser que tenha sido corroborado de forma independente. Tal intenção, é evidentemente, muito séria".

Entre outras considerações, ficou apurado que a Bauer Media não investigou corretamente as alegações contra a atriz e as publicou "sabendo que eram falsas" e de uma fonte que exigiu pagamento e anonimato e que, na opinião de um editor [da revista] tinha 'interesses próprios' para a querer prejudicar".

Comentários