Artigo

Cascais iluminado por festival de luz em setembro

O Lumina - Festival da Luz vai cumprir mais uma edição em Cascais, de 22 a 24 de setembro, um evento que inclui duas dezenas de obras que recriam o espaço urbano da vila, revelou hoje a organização.

Vários artistas nacionais e internacionais vão utilizar a luz como forma de expressão, dando origem a espetáculos de luz e cor, projeções multimédia e instalações interativas.

Organizado pela OCUBO e pela Câmara de Cascais, o festival tem entrada livre e anualmente é visitado por mais de 400 mil pessoas.

A edição deste ano conta com a participação de cerca de 40 artistas oriundos de Portugal, Alemanha, Bélgica, Eslovénia, França, Hungria, Israel, Nova Zelândia, Polónia e Reino Unido.

"Aceitaram o desafio de criar as suas obras de luz em homenagem à Natureza, o tema escolhido para esta edição", revelam.

Considerado como um dos dez melhores festivais de luz da Europa, indica a organização, o objetivo do evento é "realçar o património histórico e urbano através de um percurso pelas ruas de Cascais".

Georges Cuvillier, artista belga, é o autor de "Tunnel of Love", uma escultura inédita de bambu, um material natural, que assume formas orgânicas.

"Este ‘Tunnel of Love' em Cascais é um convite à intimidade, à experiência de um mundo desconhecido, uma jornada de descoberta. O artista convida o público a passar por este túnel e entrar no amor", lê-se em comunicado.

Por seu lado, "Are Atoms Alive?" é a obra conjunta de Story Box e do ateliê OCUBO que envolve e convida os visitantes a olharem para o universo apresentado em escalas diametralmente opostas, partindo de uma dimensão ampla para um nível microscópico.

Outra das obras intitula-se de "No one left behind", que aborda o Programa OSD 2030 - Objetivos do Desenvolvimento Sustentável 2030 da ONU, assente numa agenda com 17 objetivos que visam transformar o mundo.

"A mensagem desta experiência luminosa (‘ninguém fica para trás') reflete o desejo de abranger todas as pessoas e comunidades neste programa central, demonstrando o reforço do investimento nas pessoas e no seu potencial construtivo", lê-se.

Este ano, "Seasons", a obra artística do ateliê OCUBO com tecnologia "NeoScope", que transforma o público no elemento principal de uma experiência imersiva, permitindo-lhe, mediante a descarga da aplicação no telemóvel, envolver-se e participar numa jornada 360.º pelas quatro estações do ano.

Este ano, e pela primeira vez, há um país convidado, a Bélgica, para mostrar algumas das suas potencialidades culturais e tradicionais, uma iniciativa promovida pela embaixada daquele país, que permite ao público provar a gastronomia belga, assistir a performances musicais e admirar a obra de luz do artista belga convidado.

O Lumina é criado e produzido pelo ateliê OCUBO, conta com o investimento e coprodução da Câmara Municipal de Cascais, bem como com o apoio de embaixadas e privados.

Comentários