Artigo

Confirmado: Causa da morte de Chris Cornell foi suicídio por enforcamento

O músico dos Soundgarden e dos Audioslave enforcou-se, indica o relatório médico.

Chris Cornell, que ficou conhecido como vocalista dos Soundgarden e dos Audioslave, morreu esta quarta-feira, 17 de maio, aos 52 anos. O representante do músico, Brian Bumbery, confirmou, em comunicado enviado à Associated Press, que este morreu na quarta-feira à noite em Detroit.

De acordo com o relatório médico da clínica Wayne County Medical Examiner, Cornell morreu na sequência de um suicídio por enforcamento. Ainda assim, o relatório completo da autópsia, que inclui o exame toxicológico, ainda está por revelar.

Um amigo de Chris Cornell foi comprovar o estado do artista ao seu quarto no hotel MGM Grand, em Detroit, onde o encontrou inconsciente no chão da casa de banho, avisando as autoridades, por volta da meia-noite de quarta-feira.

“Baseámo-nos nas nossas observações, investigámos o acontecimento como um possível suicídio”, disse o diretor de comunicação da polícia de Detroit, no Estado do Michigan, Michel Woody, acrescentando: “Não vamos comentar especificamente porquê”.

Outro porta-voz da polícia da cidade disse ao jornal Detroit Free Pass que o cantor, com 52 anos, tinha uma fita à volta do pescoço.

A família do cantor pediu privacidade neste momento.

De acordo com a revista NME, horas antes da morte, Cornell recordou 20 temas dos Soundgarden num concerto no Fox Theatre, em Atlanta, nos Estados Unidos.

Cornell é um nome incontornável do rock norte-americano, e é mais conhecido pelo seu trabalho como vocalista dos Soundgarden e dos Audioslave. A solo, editou seis álbuns entre 1999 e 2015. O último disco ("Higher Truth") foi lançado há dois anos.

Cornell foi ainda o intérprete de um dos temas da saga 007, a canção de "Casino Royale" (2006) "You Know My Name".

O músico fez ainda parte do grupo Temple of the Dog, que regressou ao ativo no final do ano passado para celebrar os 25 anos do lançamento do primeiro e único disco.

Doze anos depois do último concerto, os Audioslave tinham voltado a juntar-se em janeiro e atuaram numa noite de protesto contra a tomada de posse do novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Os Audioslave, que integram músicos dos Rage Against The Machine e dos Soundgarden, atuaram no Teragram Ballroom, em Los Angeles, numa noite programada pelos Prophets of Rage e intitulada "Power to the people".

A banda formou-se em 2002 depois, do ex-vocalista dos Soundgarden Chris Cornell se ter juntado aos membros dos Rage Against the Machine Tom Morello, Tim Commerford e Brad Wilk.

Os Soundgarden tinham um concerto agendado para sexta-feira, 19 de maio, no festival Rock in the Range, nos Estados Unidos.

No início de março, o músico lançou uma nova canção, "The Promisse", que faz parte da banda sonora do filme com o mesmo nome e protagonizado por Oscar Isaac, Christian Bale e Charlotte Le Bon.

Cornell, dono de uma voz que marcou várias gerações que atravessaram a era do grunge (movimento musical nascido na década de 1980 em Seattle, nos Estados Unidos), passou por Portugal em várias ocasiões, com destaque para a atuação em 1992 que juntou Soundgarden, Faith No More na abertura para Guns N'Roses no Estádio de Alvalade, em Lisboa, quando a banda de Cornell tinha acabado de lançar "Badmotorfinger" (1991) e ainda estava a um par de anos de "Superunknown" (1994).

Com Audioslave, Chris Cornell pisou palcos portugueses em, por exemplo, 2003 ou em 2005 no Super Bock Super Rock. Em 2009 fez parte do cartaz do festival Alive, em Algés, em nome próprio.

Os Soundgarden tinham em curso uma digressão nos Estados Unidos, cujo próximo concerto teria lugar na sexta-feira em Columbus, no Ohio, de acordo com a

Comentários