Artigo

Grammys Latinos: Prémios acontecem esta quinta-feira com muito "despacito" e medidas de segurança

A cerimónia dos Grammys Latinos realiza-se em Las Vegas. O grande sucesso de Luis Fonsi e Daddy Yankee está nomeado para quatro prémios.

Des-pa-cito... quem não sabe a letra, improvisa: são poucos os que ainda não conhecem o grande sucesso de Luis Fonsi e Daddy Yankee, que estão na luta pelos Grammys Latinos.

Os porto-riquenhos chegam a Las Vegas esta quinta-feira, com quatro nomeações por este reggaeton, que foi o número um em mais de 45 países e cuja versão gravada com o fenómeno pop canadiano Justin Bieber chegou ao topo do Hot 100 da Billboard.

A música está na corrida para Gravação (que inclui o intérprete, o compositor e a equipe de produção) e Canção do Ano, Melhor Fusão/Interpretação Urbana e melhor Vídeo Musical (Versão Curta).

Mas é o rapper porto-riquenho René Pérez Joglar, conhecido profissionalmente por Residente, que tem o maior número de nomeações: nove, pelo seu ambicioso disco solo homónimo, que é inspirado na análise do seu genoma.

Este é o primeiro álbum solo de Residente desde que se separou da banda Calle 13, atualmente num período sabático, com a qual ganhou 24 Grammys da edição latina e três da anglófona.

Na edição 2017, Residente está nomeadonas categorias: Álbum, Gravação e Canção do Ano; Melhor Fusão/Interpretação Urbana, Álbum de Música Urbana, Canção Urbana, Canção Alternativa, Canção Tropical e Vídeo Musical (Versão Curta).

Maluma e Shakira acumulam sete e seis nomeações, respectivamente, enquanto Kevin Jiménez ADG, Juanes e Mon Laferte chegam com cinco cada.

Dois destaques entre os brasileiros indicados são o rapper Emicida, que concorre na categoria Melhor Canção "Urban" com "A Chapa É Quente!", que canta com Rael, e a cantora Ludmilla, com "A Danada Sou Eu", concorrendo ao prémio de Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa.

A categoria Melhor Álbum de Música Sertaneja reúne nomes como Daniel, Luan Santana, Marília Mendonça e Simone & Simaria, enquanto na de Melhor Canção em Língua Portuguesa se destacam Marisa Monte, Diogo Nogueira e Nando Reis.

Outros artistas brasileiros indicados no Grammys Latinos são o grupo Blitz, Mart’nália, Edu Lobo, Alexandre Pires, Aline Barros e Roberta Sá, entre outros.

Os Grammy Latinos são eleitos por votação dos membros da Academia Latina da Gravação, que incluem artistas, compositores e produtores. Os nomeados de 2017 foram selecionados entre quase 10.000 candidatos em 48 categorias.

A cerimónia será na quinta-feira, em duas cerimónias separadas: a Premier, onde se entrega a maioria dos prémios, e a gala para as principais categorias.

Na quarta-feira, Alejandro Sanz será homenageado como "Personalidade do Ano".

"Alerta" após tiroteio

Os Grammys Latinos têm lugar em Las Vegas, onde há um mês e meio ocorreu o tiroteio mais mortífera da história recente dos EUA, que deixou 58 mortos e 550 feridos.

Aden Ocampo, da polícia da cidade, disse à agência AFP que haverá um esquema de segurança especial, como acontece em todos os grandes eventos.

"Com tudo o que aconteceu, estaremos alerta", indicou, sem saber dizer o número de agentes que serão mobilizados para acompanhar a gala no MGM Grand e a homenagem a Sanz no Mandalay Bay, o mesmo hotel de onde Stephen Paddock disparou contra uma multidão que assistia a um espetáculo de música country.

O que é seguro é que o evento vai realizar-se e que os grandes nomes da música em castelhano e português estarão presentes para a entrega do maior prémio da música latina.

Steve Aoki, J Balvin, Bad Bunny, Alessia Cara, Flor de Toloache, Juanes, Mon Laferte, Natalia Lafourcade, Logic, Maluma, French Montana, Sofía Reyes, Carlos Vives, Nicky Jam, CNCO, além de Sanz, Fonsi e Residente, animarão a festa com a sua música.

Lin-Manuel Miranda, ganhador de dois Grammy internacionais, receberá o Prémio da Presidência da Academia pelo "seu talento artístico, visão e forma magistral em que usa a sua arte para apoiar e promover temas relacionados com os latinos nos EUA", disse Gabriel Abaroa Jr., presidente da Academia Latina da Gravação.

"A poesia urbana e social de Lin-Manuel dá força e ânimo aos latinos que procuram superar-se", acrescentou.

Comentários