Artigo

Johnny Depp e Amber Heard vão boicotar a Austrália depois de ameaça aos cães

Depois do Departamento de Agricultura ter ameaçado abater os seus cães de estimação, o casal dificilmente regressará ao país.

Johnny Depp e Amber Heard parecem determinados a boicotar a Austrália depois de terem sido acusados pelas autoridades locais de trazer ilegalmente os seus cães de estimação em maio, numa polémica que ficou conhecida como «Terriergate».

Em entrevista a um talk show matinal naquela país a propósito do seu novo filme «Magic Mike XXL», Amber Heard disse que tinha «a impressão que vamos evitar vir a partir de agora, tanto quanto nos seja possível, graças a certos políticos».

Ficam poucas dúvidas que a atriz, casada com Depp desde fevereiro, se estaria a referir a Barnaby Joyce, ministro da Agricultura, que os criticou duramente em público por trazerem dois Yorkshire Terriers no avião privado para a rodagem do próximo «Piratas das Caraíbas» e terá dado um ultimato de dois dias para serem retirados da Austrália ou abatidos.

Na altura, o responsável chegou mesmo a dizer que o facto de Depp ter sido eleito por duas vezes «o homem mais sexy do mundo» não lhe dava direito a tratamento especial e que «era altura de Pistol e Boo regressarem aos EUA», sugerindo que o ator os podia enviar «no mesmo avião em que os trouxera».

Sem nunca o mencionar diretamente, Heard ainda acrescentou que «pelos vistos todos tentam ter os seus 15 minutos [de fama], incluindo alguns responsáveis políticos».

Comentários