Artigo

Johnny Depp enfrenta pena de 10 anos por levar cães para a Austrália

Responsáveis políticos estão a encarar como um caso muito sério o ator não ter declarado a presença dos seus animais de estimação.

O episódio de Johnny Depp transportar os seus dois Yorkshire terriers para a Austrália num avião privado, conhecido como «Terriergate», pode ter contornos mais sérios.

Na segunda-feira, um comité do Senado australiano foi informado que se o caso for a tribunal, a estrela pode ser condenada a uma pena de prisão até 10 anos ou uma multa até 340 mil dólares australianos (aproximadamente 242 mil euros) pelo transporte não autorizado, numa violação das leis de quarentena do país.

As leis destinam-se a impedir a importação acidental de doenças de animais e infeções para a ilha: nenhum animal vivo ou plantas, produtos de animais ou relacionados com plantas e algumas artigos de alimentação podem ser trazidos para o país sem autorização governamental.

Cães que sejam transportados devem ficar em quarentena no mínimo dez dias após a chegada, mais se existir alguma suspeita de doença ou presença de vermes.

Pelo seu papel na situação, também o piloto do avião pode ser condenado a dois anos de prisão.

De acordo com as notícias, Depp manteve-se no país para a rodagem do quinto filme «Piratas das Caraíbas», enquanto a esposa, Amber Heard, regressou à Califórnia com os animais após um ultimato de dois dias das autoridades, que ameaçavam abatê-los.

Comentários