Artigo

MEO Marés Vivas: O que não pode perder no festival "à beirinha do Douro"

O festival MEO Marés Vivas realiza-se esta semana na Praia do Cabedelo, em Vila Nova de Gaia.

"Há um festival de verão, mesmo à beirinha do Douro. Onde qualquer um se sente bem, nortenho, estrangeiro ou mouro", canta Vasco Palmeirim no hino oficial da Rádio Comercial para o MEO Marés Vivas. E este refrão resume o bom ambiente que se vive no festival que regressa esta semana, nos dias 14, 15 e 16 de julho, à Praia do Cabedelo, em Vila Nova de Gaia.

A edição de 2017 do festival conta com um cartaz bastante diversificado, que começa com Diogo Piçarra e termina com Seu Jorge. Durante os três dias, não vai faltar animação nos vários palcos do MEO Marés Vivas.

Se vai ao festival da Praia do Cabedelo, deixamos-lhe uma pequena cábula:

A tranquilidade do MEO Marés Vivas

Se gosta de estar em eventos mais calmos, com menos confusão e sem grandes multidões, o MEO Marés Vivas é o festival ideal para si - por dia, o recinto recebe em média 25 mil pessoas (menos 30 mil que o NOS Alive, por exemplo).

A tranquilidade é um das características que distingue o MEO Marés Vivas de outros festivais - não há tantas correrias, não é preciso fazer maratonas entre palcos e não há concertos em simultâneo. Durante três dias, só tem de ir e aproveitar a música, a paisagem e fazer novos amigos.

Música portuguesa em destaque

Durante os três dias de festival, a música que se faz em Portugal vai ter um lugar de destaque nos dois principais palcos do MEO Marés Vivas. No dia 14, a abrir o Palco MEO, estará Diogo Piçarra - o cantor vai apresentar os temas do seu novo disco e revistar outros sucessos.

Já Agir tem a missão de fechar o primeiro dia. O músico vai animar a Praia de Cabedelo com as canções que todos os festivaleiros conhecem.

No sábado, dia 15, os Amor Electro abrem o palco principal. Ao fim da noite, os Expensive Soul prometem fazer saltar os festivaleiros. Já no última dia do MEO Marés Vivas, Miguel Araújo terá a missão de embalar o público antes do concerto do Sting.

Bastille, Scorpions e Sting

No primeiro dia do MEO Marés Vivas, os Bastille são os grandes cabeças de cartaz. A banda britânica de Dan Smith, Chris Wood, Kyle Simmons e Will Farquarson vem ao Cabedelo apresentar o novo disco, "Wild World", mas promete não deixar de fora os sucessos com os quais se tornaram conhecidos.

No dia 15, os festivaleiros vão soprar as velas com os Scorpions. A banda, a celebrar 50 anos de existência, que protagonizou êxitos como “Still loving you” e “Wind of Change”, vai apresentar no palco da MEO as canções de “Return to forever”, o seu 18º álbum de estúdio, e recordar os principais sucesso da carreira.

Os Scorpions tornaram-se uma das bandas de referência, com as suas canções a serem retomadas por grupos como os Smashing Pumpkins, Green Day, Korn, System Of A Down ou os Queensryche.

No último dia, Sting é o grande protagonista no MEO Marés Vivas. Como vocalista dos The Police ou a solo, o músico soma uma legião de fãs em todo o mundo. O cantor editou em novembro de 2017 "57th & 9th", disco que vai apresentar a 16 de julho em Vila Nova de Gaia.

Depois de vender mais de 100 milhões de álbuns, Sting reconhece a sua sorte por não ter de se preocupar com pressões comerciais. Talvez por isso, esteja em busca de uma mudança. "O aspecto mais importante na música, na minha opinião, é a surpresa", revelou.

O título do álbum vem de uma esquina de Manhattan pela qual Sting, que mora perto do Central Park com a mulher, a atriz Trudie Styler, passa todos os dias.

Rir no Palco RTP Comédia

Entre os grandes concertos no Palco MEO, aproveite para rir com alguns dos humoristas mais admirados pelo público português. Eduardo Madeira (dia 14), Ana Bola (15) e Francisco Menezes (16) prometem arrancar muitas gargalhadas aos festivaleiros durante os três dias do MEO Marés Vivas.

Comentários