Artigo

Planície Mediterrânica: O festival que combina cante alentejano com músicas do mundo

Concertos de Rhytmes Des 7Lunes, Aiwa Band, Ana Alcaide e Cuca Roseta, cante alentejano, oficinas, bailes, exposições e gastronomia vão marcar o Festival Planície Mediterrânica deste ano, que começa hoje em Castro Verde, no Alentejo.

Através do Planície Mediterrânica, que decorre até domingo com iniciativas em ruas e espaços públicos, a vila de Castro Verde, no distrito de Beja, integra a rede do Festival Sete Sóis Sete Luas, que este ano envolve 33 municípios de 13 países.

Segundo a Câmara de Castro Verde, o Planície Mediterrânica, promovido pelo município em parceria com as associações Sete Sóis Sete Luas e PédeXumbo, celebra a tradição e a identidade mediterrânicas do concelho, através da música, das artes, dos sabores e da maneira de ser e estar do Alentejo e de intercâmbios com outras culturas do Mediterrâneo.

O programa dos principais espetáculos arranca hoje, às 21:30, no Anfiteatro Municipal, com o concerto de Rhytmes Des 7Lunes, a nova produção do Festival Sete Sóis Sete Luas e que reúne cinco músicos oriundos das diversas margens do Mediterrâneo e do mundo lusófono: Lúcio Vieira (Cabo Verde), Liron Meyuhas (Israel), Adil Smaali (Marrocos), José Peixoto (Portugal) e Lavinia Mancusi (Itália).

Seguem-se os concertos de Aiwa Band, de Marrocos e França, no sábado, às 21:30, no Anfiteatro Municipal, e, no domingo, da espanhola Ana Alcaide, às 15:00, junto a Basílica Real, e da portuguesa Cuca Roseta, às 19:00, no Anfiteatro Municipal.

Para "um pezinho de dança", o festival inclui concertos/baile no miradouro junto à Basílica Real de Castro Verde, animados pelo projeto português A Batalha do Modesto Camelo Amarelo, hoje, pelo italiano Duo Pastis, no sábado, e pelo músico e compositor francês Laurent Geoffroy, no domingo.

O festival oferece também animações musicais na rua D. Afonso I, a partir das 00:00, com atuações do músico alentejano Pedro Mestre, hoje, e do grupo de música tradicional Os Alentejanos, no sábado.

O programa do festival prevê ainda atuações de grupos corais alentejanos, uma Feira de Velharias e Produtos da Terra, taberna, petisqueiras, bar e esplanada com comida e petiscos típicos do Mediterrâneo, animações de rua, oficinas de danças, artesanato, um roteiro por tabernas de Castro Verde, o 7.º Encontro de Bicicletas Antigas e cinco exposições.

Comentários