Artigo

Realizador de cinema italiano é acusado de assédio sexual por 10 mulheres

Acusado de assédio por várias mulheres, o produtor e diretor de cinema Fausto Brizzi negou tudo.

Ao menos 10 mulheres denunciaram por assédio sexual, segundo um programa de televisão italiano, o produtor e diretor de cinema Fausto Brizzi, conhecido pelas suas comédias do quotidiano, que negou as acusações esta segunda-feira (13).

Os seus únicos filmes que estrearam em Portugal foram "Machos Contra Fêmeas: A Guerra dos Sexos" (2010) e "Fêmeas Contra Machos: A Guerra dos Sexos - Parte 2" (2011),

O cineasta italiano, prestes a completar 49 anos, junta-se à lista de personalidades do cinema suspeitas de comportamento sexual incorreto desde que, nos Estados Unidos, o produtor Harvey Weinstein foi acusado por mais de 100 atrizes e ex-funcionárias de assédio, agressão sexual e violação.

Após anunciar a sua retirada momentânea de toda a atividade profissional, esta segunda-feira Brizzi negou as acusações, garantindo que sempre teve relações sexuais consentidas.

No entanto, cerca de 10 mulheres - entre elas duas jovens que mostraram o rosto e deram o seu nome - acusaram Brizzi, em declarações ao programa satírico de televisão "Le Iene", de se aproveitar do seu poder para tocá-las, acariciá-las e propor testes de câmara ousados, nos quais aparecia nu.

O jornalista que entrou em contacto com as jovens, Dino Giarrusso, disse que a redação do programa recebeu dezenas de e-mails de atrizes que acusam Brizzi, que iniciou a carreira na indústria do entretenimento como argumentista.

"Nós não vamos parar apenas numa pessoa, não faria sentido, os personagens envolvidos são muito mais do que um", adiantou Giarrusso.

De acordo com os depoimentos, todas as jovens, que não se conheciam, contam que foram convidadas para ir ao escritório de Brizzi, um "loft" amplo com cama, onde sofreram as agressões sexuais.

Algumas delas, atrizes e modelos, contaram que mostraram resistência, mas outra confessou que a situação a confundiu tanto que acabou por aceitar ter relações, "envergonhando-se muito depois".

Já o realizador de cinema italiano Dario Argento contou num programa que a sua filha, a atriz Asia Argento, que está entre as que denunciaram Harvey Weinstein, atualmente "tem medo e não sai de casa porque teme pela sua vida".

Comentários