Artigo

Renovado Cais do Sodré é hoje inaugurado com concertos e festa

A Câmara Municipal de Lisboa vai assinalar hoje o fim das obras nos largos do Cais do Sodré e Corpo Santo, com concertos de Dead Combo e B Fachada, num investimento que "deverá ficar abaixo dos 25 mil euros".

A autarquia adiantou à Lusa que "a partir das 14:00 haverá bancas de artesanato no Largo do Corpo Santo e concertos" a cabo de 'dj' residentes nos bares do Cais do Sodré.

O programa "A Rua é Sua - venha descobrir o novo Cais do Sodré" contemplará também bancas de 'street food' e concertos de entrada livre a partir das 17:00, com B Fachada "a tocar canções de Zeca Afonso, para assinalar os 30 anos desde a sua morte", e Dead Combo de seguida.

Quanto ao trânsito, estará condicionado entre as 10:00 e as 22:00, sendo que as paragens das carreiras cujos autocarros iniciam e terminam no Jardim Roque Gameiro irão "mudar-se" para a Praça Duque da Terceira, durante este período.

O "atravessamento para a Ribeira das Naus e para a rotunda do Cais do Sodré estará a funcionar normalmente para carros individuais", observou fonte da Câmara de Lisboa.

Já relativamente ao investimento na festa, a autarquia garantiu que será "muito menos do que na inauguração do Eixo Central", devendo "ficar certamente abaixo dos 25 mil euros".

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, irá marcar presença na inauguração.

A 22 de janeiro, o município assinalou o fim das obras no denominado Eixo Central da cidade, que abrange as avenidas da República e Fontes Pereira de Melo, com atividades desportivas e animação de rua, além de publicidade na imprensa.

No total, foram investidos 50 mil euros para marcar o fim da empreitada, e segundo a autarquia "o grosso da despesa foram os custos com a publicidade na imprensa, 19.543 euros".

As obras no Corpo Santo e no Cais do Sodré começaram no final de novembro passado, visando a reorganização do terminal de autocarros e de elétricos, mais espaços verdes e circulação pedonal e reordenamento do estacionamento, que sai da praça do Cais do Sodré.

No final de janeiro, o vereador do Urbanismo da Câmara de Lisboa, Manuel Salgado, disse que as obras de requalificação no Cais do Sodré transformaram aquela zona, que antes se assemelhava a um "parque de estacionamento", num jardim.

Poucos dias antes, Manuel Salgado precisou que a empreitada "correu bem" e "dentro do prazo" (o primeiro trimestre do ano).

As intervenções nesta zona da cidade abrangeram também a Avenida 24 de Julho, o Campo das Cebolas e as ruas do Arsenal e Alfândega, bem como a ligação da Praça Duque da Terceira à Rua do Alecrim.

Comentários