Artigo

Richard Dreyfuss: As acusações de assédio sexual continuam em Hollywood

O ator Richard Dreyfuss, o produtor Gary Goddars e George Takei, um dos protagonistas da saga "Star Trek", negaram, este sábado , terem tido conduta sexual inadequada, após serem acusados publicamente.

Na sexta-feira, Richard Dreyfuss, de 70 anos, foi acusado de assédio pela escritora Jessica Teich, de 58 anos.

Jessica alegou que a estrela de "Tubarão" a assediou durante dois, ou três anos, em meados dos anos 1980, quando ela trabalhava num programa que ele produzia. Uma vez, relatou, ele exibiu-se para ela.

"Criou um ambiente de trabalho muito hostil, onde me senti sexualizada, objetivada e insegura", desabafou na entrevista à revista Vulture.

Num comunicado, Dreyfuss - cujo filho Harry acusou na semana passada o ator Kevin Spacey de o ter tocado em 2008 - também negou as acusações.

Admitiu, porém, ter "cortejado" mulheres, incluindo Jessica, e que "a forma como os homens se comportaram com as mulheres durante muito tempo não era correta".

Gary Goddard, mais um produtor acusado

O produtor Gary Goddard, de 63 anos, também enfrentou acusações de má conduta sexual contra Anthony Edwards, da série "ER" e de "Top Gun", quando ainda era menor.

Edwards, de 55 anos, publicou num blog na sexta-feira que foi abusado sexualmente por Goddard - seu mentor e representante no início da carreira - durante "anos". Ele conheceu-o aos 12 anos.

"Gary está abatido com as falsas acusações", disse um porta-voz do produtor, acrescentando que ele nega a acusação "inequivocamente".

As acusações contra George Takei

Um antigo modelo e ator, Scott R. Brunton, acusou George Takei de o ter atacado sexualmente durante um encontro entre os dois em 1981.

Brunton, na altura com 23 anos, alega que Takei o apalpou e tentou tirar-lhe a sua roupa interior depois de os dois terem tomado algumas bebidas e Brunton ter perdido os sentidos na casa de Takei.

O ator, celebrizado como Sulu na série original de "Star Trek", já negou as acusações numa série de tweets partilhados este sábado. "Estes acontecimentos tal como ele os descreve nos anos 80 simplesmente não aconteceram e não sei porque é que ele fez estas acusações agora. Dei a volta à cabeça para ver se me lembrava do Sr. Brunton e não posso dizer que me lembre", disse Takei na sua conta de Twitter.

Brunton vivia em Hollywood em 1981, estava a começar a sua carreira como modelo e ator e trabalhava como empregado num bar, onde terá conhecido George Takei, que na altura estava na casa dos 40. Os dois terão trocado contactos e falado algumas vezes de tempos a tempos. Depois de Brunton se ter separado do seu namorado da altura, Takei tê-lo-á convidado para jantar e para ir ao teatro e, no final dessa noite, os dois terão voltado para o apartamento do ator para tomarem uma bebida.

"Tomámos a bebida e depois ele perguntou se eu queria outra. Eu disse que sim. Tomei a segunda e depois, de repente, comecei a sentir-me muito desorientado e zonzo e achei que ia desmaiar", descreveu Brunton numa entrevista ao The Hollywood Reporter.

"A próxima coisa de que me lembro foi de voltar a mim, ter as minhas calças pelos tornozelos e de ele estar a apalpar a minha zona genital e a tentar tirar a minha roupa interior", acrescentou.

Brunton descreve que, assim que percebeu o que estava a acontecer, lhe pediu para parar e abandonou o apartamento. O ex-modelo e ator explicou que pensou em expor o caso durante anos mas não o fez porque achou que ninguém o iria levar a sério. Depois dos escândalos com Harvey Weinstein e Kevin Spacey terem explodido, Brunton achou que a altura era a certa para avançar com a denúncia.

Em outubro, depois de Anthony Rapp ter acusado Kevin Spacey de assédio, George Takei reagiu, dizendo ao The Hollywood Reporter que "homens que assediam ou atacam outros não o fazem por serem homossexuais ou heterossexuais. Fazem-no porque têm o poder e escolhem abusar dele".

Comentários