Artigo

Roger Waters acusado de antissemitismo por promover boicote a Israel

Uma organização de judeus de Miami criticou esta quinta-feira o músico britânico Roger Waters pelo seu alegado antissemitismo, manifestado pouco antes de um concerto do cofundador dos Pink Floyd nessa cidade da Flórida.

O ex-baixista e vocalista daos Pink Floyd tem pedido há anos a outros músicos que não atuem em Israel para promover um boicote cultural - liderado pelo movimento palestiniano Boicote, Desinvestimento, Sanções (BDS) - contra os assentamentos judeus.

"O antissemitismo e o ódio não são bem-vindos em Miami", disse em comunicado a Federação Judaica de Miami. "Senhor Waters, pare de pedir apoio ao boicote cultural de Israel".

"Pare de usar a sua plataforma musical para cuspir a sua retórica venenosa e cheia de ódio, usando símbolos antissemitas e linguagem anti-israelita nas suas atuações", acrescentou a organização.

O músico de 73 anos atuou na noite da passada quinta-feira na American Airlines Arena, no âmbito da digressão "Us + Them Tour", na qual promove o seu novo álbum a solo, "Is This the Life We Really Want?", e recorda algumas canções dos Pink Floyd.

O movimento BDS promove o boicote a produtos e serviços vinculados à construção de colónias israelitas nos territórios palestinianos.

Comentários