Artigo

«A Guerra dos Tronos» e a angústia dos fãs

Foi uma das polémicas da semana nas redes sociais, talvez a principal a envolver televisão e entretenimento. O controverso nono episódio da terceira temporada de "A Guerra dos Tronos", emitido nos EUA no passado domingo, estreia em Portugal na próxima segunda-feira, no Syfy, e promete continuar a gerar estupefação, indignação e admiração.

A morte de personagens relevantes - já para não falar das irrelevantes - está longe de ser uma novidade no universo de "A Guerra dos Tronos", mas inúmeras reações dos seguidores da série do canal HBO - transmitida em Portugal pelo Syfy - acusam George R. R. Martin, o autor dos livros que inspiraram a produção televisiva, de ter ido longe demais.

A julgar por vários testemunhos propagados pelas redes sociais e plataformas de vídeos ao longo desta semana, "The Rains Of Castamere", o nono episódio da terceira temporada da série, deixou em choque a maioria dos fãs de todo o mundo que assistiu à sua emissão na televisão norte-americana, a 2 de junho, ou que o viu depois de o descarregar online - e terão sido muitos, até porque "A Guerra dos Tronos" destacou-se como a série mais pirateada de 2012.

Ainda assim, as opiniões dividem-se e só não há espaço para a indiferença: por cada fã indignado e a jurar desistir da saga parece haver outro a elogiar o risco e o efeito surpresa do argumento (e nem falta quem destaque já o episódio como um dos mais memoráveis de sempre de uma série televisiva).

Quem preferiu ou teve de esperar pela estreia em Portugal pode ficar a par das reviravoltas na próxima segunda-feira, dia 10 de junho, a partir das 22h20, no Syfy (ou através da repetição do episódio, no dia seguinte, às 14h19).

Mas a que se deve, afinal, este choque? (ATENÇÃO: O TEXTO ABAIXO CONTÉM SPOILERS)

Depois de uma temporada com uma evolução relativamente lenta dos acontecimentos, os minutos finais de "The Rains Of Castamere" deixaram gravada na memória dos fãs uma das sequências mais violentas e repentinas da série até agora. Também conhecido como "Red Wedding", o episódio terminou com o assassinato de duas das personagens principais, Catelyn Stark e o seu filho, Robb, vitimando ainda a esposa deste, Talisa, que tinha engravidado recentemente.

Depois de Ned Stark, o patriarca da família, também ter sido assassinado na primeira temporada, estas três mortes voltaram a sugerir que nos sete reinos de Westeros ninguém está seguro, independentemente da sua relevância na ação. Os fãs podem indignar-se, mas não podem dizer que não foram avisados, uma vez que George R. R. Martin sempre o admitiu. E quem já leu os livros garante que as baixas desta guerra estão só a começar...

@Gonçalo Sá

Comentários