Artigo

Até vale faltar às aulas para ver Violetta em Lisboa

A poucas horas da estreia do espetáculo "Violetta", em Lisboa, alguns milhares de crianças e adolescentes faziam fila, hoje, à porta do MEO Arena, entretendo-se a cantar as músicas da série televisiva argentina.

Em redor daquela sala de espetáculos, alinham-se filas ordeiras de pais e filhos, crianças e adultos, à espera para ver, ao vivo e pela primeira vez, a cantora e atriz argentina Martina Stoessel, a adolescente de 17 anos que dá vida à personagem Violetta, numa série televisiva de sucesso em Portugal.

Beatriz, de 11 anos, e Carolina, de 10, viajaram de Olhão até Lisboa, faltando a um dia de aulas, para verem quem mais admiram. Em declarações à Lusa, Beatriz justificou: "É simpática, gosto da maneira dela ser, é sincera e gostava de ser como ela, porque é amorosa, é decidida e é muito gira".

Martina Stoessel fará um total de seis concertos em Portugal, entre hoje e domingo. Ao longo de uma hora e meia estão prometidos "efeitos visuais espetaculares" com neve artificial, confetes, pirotecnia, e com alguns dos artistas a sobrevoarem o público.

Beatriz e Carolina esperam "muita diversão, muitos pulos, muitas canções, [atores] da série, que seja divertido". "Vamos gritar muito!", exclamaram.

Nas filas de espera, acompanhados e orientados por vários elementos de segurança, viam-se sobretudo meninas, a rondar os 8 e os 12 anos, trajadas com adereços da Violetta: lenços, casacos, camisolas, pinturas faciais, muito cor de rosa e brilhantes.

Jorge Amaral e a mulher, de Gondomar, apanharam um avião e chegaram cedo ao MEO Arena para satisfazer o desejo da filha, Beatriz, de oito anos, em ver a Violetta de perto. Ficarão no balcão, local onde os bilhetes são mais baratos, mas para eles isto não é um grande sacrifício. "Por elas tentamos fazer tudo e mais alguma coisa. Mas é um bocadinho 'puxado'. Elas não vêm sozinhas. Eu faltei ao trabalho, ela [a mãe] também. Tudo contabilizado fica um bocado caro, mas é uma vez", disse à Lusa Jorge Amaral, que admitiu saber as canções e conhecer a Violetta "de trás para a frente".

Jorge Amaral só lamenta que a série televisiva domine os serões familiares: "Chego do trabalho e ela já está a ouvir a Violetta e eu quero ver a bola e só vejo metade do jogo. Mas não é saturante".

Esta será a estreia de Violetta em Portugal, mas é a segunda vez que a cantora anda em digressão mundial com um espetáculo que recupera os temas mais conhecidos, interpretados em castelhano, da série televisiva emitida pelo canal Disney da América Latina. A série teve apenas três temporadas na Argentina, desde que se estreou em maio de 2012, e tornou-se num fenómeno internacional. Em Portugal, a série é exibida nos canais por cabo e, mais recentemente, pela SIC.

"Ela mostra a paixão pela música e pela dança", afirmou Matilde, de 9 anos, que veio de Paio Pires com uma amiga e a mãe, Magda Guerreiro. "Só para ver a alegria delas vale a pena. Também já fomos crianças e gostávamos que os nosso pais fizessem o mesmo. Neste momento estou a fazer o mesmo à minha", disse Magda Guerreiro, que faltou ao trabalho para poder estar no concerto.

Além do espectáculo, às 17:30, Martina Stoessel, a Violetta, atuará novamente às 21:30.

@Lusa

Comentários