Artigo

Canal História conta a saga dos «Templários»

"Templários", a nova série de produção própria do Canal História, revela a influência do Templo na Península Ibérica e os sucessos que propiciaram a proliferação desta ordem religiosa militar. Uma produção a acompanhar a partir de 12 de maio, às 22 horas.

A série de seis episódios apresenta, pela primeira vez em televisão, a partir de uma perspetiva realista e documental, os sucessos que, em princípios do século XII, proporcionaram uma nova mentalidade e a disseminação de um novo modelo: os monges guerreiros.

Os especialistas e investigadores portugueses Manuel J. Gandra, Álvaro Barbosa, Paulo Alexandre Loução, António Moniz Palme e Adriano Vasco Rodrigues, os escritores espanhóis Jesús Sánchez Adalid e Matilde Asensi e os historiadores José Luis Corral e Carlos de Ayala Martínez, entre outros, colaboram com esta série, filmada em mosteiros, castelos e conventos da Península Ibérica.

"Templários" centra-se especialmente na influência da Ordem na criação de uma nova nação: Portugal, assim como nas primeiras Cruzadas e o impacto que provocaram numa Península Ibérica imersa em plena Reconquista.

A série mostra como uma pessoa normal dessa época, desde criança, conseguiu chegar a ser, ao mesmo tempo, o mais ilustre dos homens, um fanático religioso e uma máquina assassina perfeita.

Serão recriados grandes momentos vividos pelos protagonistas: Hugo de Payns, Urbano II, Alejo I, Sant-Omer, Afonso, o Lutador, Rodrigo Díaz de Vivar, Pedro, o Ermita, Ramón de Berenguer, Afonso I de Portugal, Gualdim Pays ou o Rei Balduíno II de Jerusalém.

"Templários" retrata ainda as grandes batalhas e perseguições que tornaram famosa a Ordem, a origem de muitos dos seus mitos, a busca do conhecimento, a luz e os segredos mais obscuros dos Templários.

Com a ajuda de especialistas na História, o especial revela também como era a mentalidade daquela época, o que os movia, o que os motivava.

Primeiros episódios:

"Por Vossa Culpa"
Em finais do século XI, a fria Europa entra em erupção. O fanatismo religioso e as profecias que falam do fim dos tempos provocam uma explosão de violência sem precedentes. Milhares de crentes procuram a salvação, alistando-se na Cruzada contra o inimigo muçulmano. Recuperar os Locais Sagrados de Jerusalém torna-se uma obsessão.
Entretanto, na Península Ibérica, também considerada como território de Cruzada, o pequeno Artal de 11 anos entra para um mosteiro. Lá, aprenderá a ler, a escrever, a pensar como um verdadeiro homem de Deus e a manusear a espada. Disciplinas que farão dele um candidato idóneo para se alistar na Ordem dos Templários.
Segunda-feira 12, 22h | Terça-feira 13, 00:10h/ 13:35h/ 19:45h

"Nove"
1118 d.C. Os Cruzados conquistaram Jerusalém e o novo reino cristão na Terra Santa prepara-se para o contra-ataque do Islão. Os efetivos que defendem a cidade são muito poucos e os peregrinos que vêm visitar os Locais Sagrados são assaltados sem compaixão.
Nove cavalheiros, liderados por Hugo de Payns, oferecem-se para criar uma milícia capaz de defender os peregrinos e a própria cidade de Jerusalém - os primeiros nove cavaleiros da Ordem dos Templários.
Segunda-feira 19, 22h | Terça-feira 20, 00:15h/ 13h/ 19:45h

"Para que não se Esqueça"
1134 d.C.. A Península Ibérica encontra-se em plena Reconquista. Depois de ter derrotado 26 vezes os almorávides, Afonso I, Rei de Aragão, já é conhecido por “o Lutador”. Hoje enfrenta a sua última batalha. No seu leito da morte, cederá todas as posses do seu reino à Ordem dos Templários.
Já não são só nove cavalheiros. As suas posses estendem-se até ao meio da Europa, as lendas sobre Hugo de Payns e os seus monges guerreiros ressoam cada vez com mais força. Cada vez são mais os jovens cavalheiros que prestam votos para entrar e fazer parte dos Templários. Um deles é Artal, que hoje se prepara para o seu ritual de iniciação.
Segunda-feira 26, 22h | Terça-feira 27, 00:15h/ 12:45h/ 19:40h

Comentários