Artigo

Conselho de Redação satisfeito por RTP poder vir a transmitir Liga dos Campeões

O Conselho de Redação da RTP manifestou hoje "satisfação" perante a "possibilidade do regresso" da transmissão dos jogos da Liga dos Campeões à estação e "encaram essa hipótese como uma demonstração da vitalidade" do serviço público de televisão.

O Conselho de Administração da RTP esclareceu na quarta-feira que o concurso para adquirir os direitos de transmissão dos jogos de futebol da Liga dos Campeões "está ainda a decorrer", depois de ter sido noticiado que a estação pública tinha vencido o concurso, com uma proposta de cerca de 18 milhões de euros.

"Estranha-se, contudo, que sob forma anónima seja atribuída uma suposta vitória da RTP, com valores que nada têm a ver com os constantes da nossa proposta", lia-se no comunicado divulgado na quarta-feira à noite.

De acordo com o comunicado do Conselho de Redação (CR) da RTP, a que a Lusa teve acesso, o órgão "entende que o eventual retorno do 'melhor futebol do mundo' permite reforçar, de forma inquestionável, a capacidade da RTP no cumprimento das obrigações de serviço público".

O CR adianta que "os jornalistas da RTP têm tradição firmada na área da informação desportiva e, seguramente, representarão uma vantagem na cobertura televisiva da principal prova de clubes a nível mundial".

"Perante a atual conjuntura financeira, o CR acredita que as negociações assegurarão os superiores interesses da RTP, contudo, não desvaloriza as preocupações manifestadas em relação aos custos envolvidos na compra de direitos televisivos", referem ainda.

O CR recorda também que a Liga dos Campeões fez percurso na RTP durante largos anos, "atingindo bons resultados de público, bem como reconhecimento da qualidade, e interpreta este possível regresso como natural".

Confia também "que esta escolha não representará qualquer desvalorização das restantes componentes do jornalismo que, atualmente, são prestadas com inegável excelência pelos jornalistas da RTP".

Hoje, o ministro da Presidência afirmou que o Governo discorda da compra de direitos de transmissão jogos de futebol pela RTP, e deu orientações nesse sentido no passado, cabendo agora ao Conselho Geral Independente (CGI) da empresa estatal pronunciar-se.

Questionado se o Governo deu aval à entrada da RTP no concurso para adquirir os direitos de transmissão dos jogos da Liga dos Campeões, Luís Marques Guedes respondeu que, "neste momento, por opção deste Governo, foi aprovada já legislação no sentido de desgovernamentalizar as orientações que são dadas à empresa de rádio e televisão".

Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, o ministro da Presidência acrescentou que "existe neste momento um Conselho Geral Independente", concluindo: "E eu espero sinceramente que o Conselho Geral se pronuncie sobre esta matéria. Faço votos para que o Conselho Geral não deixe, obviamente, de se pronunciar sobre esta matéria".

Quanto à opinião do Governo, o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares alegou que é conhecida: "Foi este Governo, quando as orientações ainda eram dadas por si, e não desgovernamentalizadas, que deu orientações muito claras no sentido de que a RTP se afastasse desse tipo de concorrência com outros operadores".

Segundo Marques Guedes, "os dinheiros públicos, do ponto de vista do Governo, não deveriam ser aplicados" na compra de direitos de transmissão de jogos de futebol.

"Numa empresa que, ainda por cima, tem dificuldades financeiras e num país que atravessa as dificuldades financeiras que atravessa, não deveria ser o operador público de serviço público a intrometer-se nesse mercado. E foram essas as orientações que o Governo deu quando a responsabilidade era sua", reforçou.

O ministro frisou, contudo, que foi criado "um Conselho Geral independente" e deixou de ser o Governo "a condicionar este tipo de soluções", reiterando: "E eu espero que esse Conselho Geral atue".

@Lusa

Comentários