Artigo

Entrevista: Atriz Helena Costa tem medo do mar

Nadadora-salvadora na série “Água de Mar”, da RTP, Helena Costa confessa ao Sapo TV que as ondas mais fortes da Foz do Arelho, local das gravações, são dignas de respeito.

Teve alguma preparação especial para este papel de “Débora”, uma nadadora-salvadora?

Sim, tive preparação física e técnica. Assim que soube que ia fazer esta personagem, comecei a dedicar-me mais ao desporto para poder estar apta a acorrer a qualquer circunstância no mar. Ainda hoje estive a fazer um salvamento e já senti que preciso de muito mais preparação física, porque o mar da Foz do Arelho não é muito fácil.
Também tive formação técnica com os especialistas do Instituto de Socorros a Náufragos, que nos ajudaram imenso. Foram duas semanas intensivas a aprender tudo e a fazer treinos.

Ficou com uma ideia diferente dos nadadores-salvadores?

Fiquei. Não fazia ideia que esta profissão era tão nobre e já estou com o instinto mais desperto e com mais atenção ao que se passa à minha volta.

Já passou por alguma peripécia menos agradável no mar no decorrer das gravações?

De dia para dia vou ganhando um pouco mais de medo do mar. Tenho sido muito aventureira, mas toda a gente me alerta e tenho visto que o mar é bastante mexido. Estou com mais medo agora, mas continuo a fazer tudo. Mas, realmente, o mar é muito cansativo. Depois de cada cena de salvamento parece que que estive uma hora no mar porque existem muitas ondas e correntes.

O elenco de “Água de Mar” acaba por ser um grupo de amigos. Isso ajuda muito?

É um elenco jovem, giro, divertido estamos sempre a brincar uns com os outros. É um ambiente muito leve e, apesar do stress do tempo para gravarmos, por causa da meteorologia, está a ser maravilhoso.

Os jogos de “poker”, a sua paixão, ficam agora de parte?

Ficam, porque agora não tenho tempo para poder estar horas num torneio. O ‘poker’ está em stand-by, mas está vivo.

Tem alguns projetos imediatos?

Tenciono voltar a estudar, já este ano. Vou para a Universidade Autónoma de Lisboa, mas ainda estou indecisa no curso. Vou para a minha quarta matrícula, mas é sobretudo para me manter informada e para concretização pessoal. Já estive em Desporto, em Aptidão Física, em Marketing e agora talvez vá para Ciências da Comunicação. O meu objetivo não é estudar para ter uma carreira em determinada área, porque eu já tenho uma carreira. É mesmo para me completar pessoalmente.

Comentários