Artigo

HBO defende cenas de sexo e violência em "A Guerra dos Tronos"

O diretor de programas do canal norte-americano HBO, Michael Lombardo, defende cenas explícitas de sexo e violência em "A Guerra dos Tronos" como resposta às críticas que a série sofre desde a estreia graças a essas sequências, indica o The Guardian.

Lombardo afirmou, durante o Edinburgh International Television Festival, que a televisão paga tem mais liberdade do que a dos canais abertos e que os argumentistas (Dan Weiss e David Benioff) tentam ser o mais fiéis possível aos livros de George R. R. Martin.

"Não me vejo como um libertino. Não acho que as cenas tenham sido feitas sem propósito. Dan Weiss e Dave Benioff são dois homens sérios e atenciosos. Têm os livros como mapa e estes envolvem guerra, violência e sexo. Nós não lhes demos um recado ou um decreto a dizer que precisavam de diminuir o conteúdo sexual do programa", afirmou o executivo.

"É um serviço para adultos. Os nossos assinantes pagam uma taxa para programas sem censura", disse o presidente da HBO. "Enquanto eu sentir que a violência não é a razão pela qual as pessoas assistem à série, que não é um programa que tenta atrair espectadores com sexo e violência, não me vou armar em polícia".

"A Guerra dos Tronos", que se baseia na série de romances escritos por George R. R. Martin sobre a luta pelo poder entre clãs inimigos em sete reinos míticos, conquistou uma crescente audiência mundial e é a série de maior sucesso da HBO.

O final da quarta temporada da série teve uma audiência de 7,1 milhões de telespectadores nos EUA, superando os 5,4 milhões do último episódio da temporada passada.

Comentários