Artigo

"House of Cards": Há uma petição para substituir Kevin Spacey por... Kevin James

A petição para substituir o ator conta com mais de 28 mil assinaturas.

Depois do escandâlo sexual, a Netflix anunciou o rompimento de todos os laços com o ator Kevin Spacey e que não irá continuar com “House of Cards” enquanto a série o incluir. Depois do despedimento, os fãs de Kevin James criaram uma petição online para o ator substituir Spacey na série.

A petição, lançada no change.org , é dirigida ao CEO da Netflix Reed Hastings e soma mais de 28 mil assinaturas. Robbie Pyma, criadora da petição, sublinha que, "com as circunstâncias chegam as oportunidades". "Acho que Kevin James pode elevar 'House of Cards' para um nível de mundialmente adorada, tal como acontece com 'A Guerra dos Tronos'", defende.

Kevin James é conhecido pelos seus papéis cómicos em séries como "Kevin Can Wait" ou "Eu, Ela e o Pai". No cinema, o ator fez parte do elenco de filmes como "O Segurança do Shopping" e "Hitch - A Cura para o Homem Comum".

Kevin Spacey assumiu homossexualidade depois de ser acusado de assédio por ator

A reputação de Kevin Spacey começou a ser arrasada quando, inspirado pelas várias denúncias de assédio sexual e violação a nomes poderosos em Hollywood nas últimas semanas e particularmente pelo caso Harvey Weinstein, o ator Anthony Rapp, que fez carreira em vários musicais da Broadway e participa na série "Star Trek: Discovery", acusou-o de, em 1986, quando Rapp tinha 14 anos e Spacey 26, de ter feito uma "investida sexual agressiva" contra si depois de uma festa em Nova Iorque.

Em resposta às acusações de Rapp, Kevin Spacey partilhou na sua conta de Twitter um pedido de desculpas e assumiu a sua homossexualidade.

Spacey começou por dizer que não tinha memória do encontro mas desculpa-se pelo que Anthony Rapp o acusa de ter feito.

"Honestamente, não me recordo do encontro, que teria sido há 30 anos. Mas se me comportei como ele descreve, devo-lhe um sincero pedido de desculpas por aquilo que terá sido um comportamento verdadeiramente inadequado e alcoolizado, e lamento os sentimentos que ele descreve ter carregado consigo durante todos estes anos", disse o ator.

A seguir, falou sobre a sua vida privada e confirmou que é homossexual. "Sei que há histórias sobre mim e que algumas foram alimentadas pelo facto de eu ser tão protector em relação à minha privacidade. Como os que são mais próximos de mim sabem, na minha vida tive relações com mulheres e homens. Amei e tive encontros românticos com homens ao longo da minha vida, e escolho agora viver como um homem gay", acrescentou Spacey no Tweet.

A mistura na declaração de pedofilia e homossexualidade foi amplamente criticada por vários setores.

Entretanto, surgiram outras acusações do realizador Tony Montana, o ator mexicano Roberto Cavazos, do ator americano Harry Dreyfuss e um ex-funcionário do teatro londrino Old Vic.

Outro ator, sob anonimato, também afirmou que a estrela de Hollywood o tentou violar quando ele tinha 15 anos.

Segundo a CNN, oito atuais e antigos funcionários de “House of Cards” acusaram Spacey de ter tornado tóxico o ambiente da produção de "House of Cards", por causa do assédio sexual.

Um porta-voz do ator afirmou à imprensa que Kevin Spacey vai submeter-se a tratamento.

Comentários