Artigo

Imprensa conservadora acusa Lena Dunham de abusar sexualmente da irmã

A atriz e cineasta norte-americana Lena Dunham foi acusada pela imprensa conservadora dos Estados Unidos de abusar sexualmente da sua irmã, denúncia baseada em excertos da sua autobiografia e rejeitada pela autora de "Girls".

"As notícias da imprensa de direita de que molestei a minha pequena irmã não são apenas ridículas - são realmente terríveis e repugnantes", respondeu Dunham no Twitter, após dois jornais citarem excertos de "Not that kind of girl" onde Lena conta passagens íntimas que envolvem a sua irmã Grace.

Na autobiografia, Dunham lembra que quando pequena oferecia "três rebuçados" à irmã para "a beijar na boca durante cinco segundos" e que inspecionou a sua vagina quando tinha um ano.

Para as revistas National Review e Truth Revolt, duas publicações conservadoras dos Estados Unidos, estas confissões são provas de que Dunham abusou sexualmente da irmã.

A atriz, realziadora, argumentista e produtora de 28 anos recebeu um adiantamento de 3,5 milhões de dólares pelo seu livro, onde se expõe com a mesma falta de pudor que na série "Girls", que criou e faz o papel de Hannah para contar a vida de quatro amigas no Brooklyn.

Desde a sua aparição no canal HBO, em abril de 2012, "Girls" já conquistou dois Globos de Ouro - melhor atriz e melhor série - e um Emmy para melhor elenco de comédia.

@AFP

Comentários