Artigo

Investigadores de Aveiro criam aplicação para escolher programas de TV

28.03.2013

Um grupo de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) desenvolveu uma aplicação para ajudar os telespetadores a escolher os programas de televisão consoante a companhia e o seu estado de espírito.

A aplicação foi desenvolvida no âmbito do projeto de investigação "TV Discovery & Enjoy" promovido pelo grupo Social iTV, do Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação da UA.

Financiado pela PT Inovação, este projeto visa estudar novas abordagens interativas que permitam aos utilizadores de um serviço de TV paga encontrarem o programa televisivo que, num determinado contexto, mais lhes agradará ver.

Em declarações à Lusa, Jorge Ferraz, coordenador do projeto, explicou que a aplicação surgiu na sequência de um inquérito realizado no ano passado, que abrangeu 550 pessoas, sobre os hábitos televisivos e os processos cognitivos que os telespectadores têm no momento da escolha e seleção dos conteúdos televisivos.

"Apurámos que os critérios mais importantes, na hora de escolher o conteúdo televisivo, prendem-se não só com o género televisivo, mas também com a companhia, o estado de espírito e o tempo livre para ver televisão", adiantou o investigador.

Os dados então recolhidos permitiram desenvolver um protótipo, composto por uma aplicação de televisão interativa e uma aplicação tablet, que abrange todos os conteúdos disponibilizados pelo MEO, operador da Portugal Telecom (PT), incluindo os programas das gravações dos últimos sete dias, e do canal de vídeo-on-demand.

Pedro Almeida, outro investigador ligado ao projeto, diz que com esta aplicação acaba a necessidade de os telespetadores fazerem zapping para encontrar o programa mais interessante.

"Com três ou quatro escolhas rápidas, a aplicação apresenta-nos um leque de 10 ou 15 sugestões, de um conjunto de mais de 10 mil conteúdos, que potencialmente se adequam àquilo que naquele momento tenho interesse em visionar", disse Pedro Almeida.

A aplicação, que se encontra na fase de protótipo, vai ser testada, no próximo mês de abril, por um grupo de pessoas que vai "avaliar o nível de usabilidade das aplicações e o grau de interesse das diversas funcionalidades implementadas", explicou Pedro Almeida.

@Lusa

Comentários