Artigo

Lourenço Ortigão: "Hei de voltar à Academia dos Emmys"

Lourenço Ortigão, 25 anos, teve um ano forte em termos profissionais. Viu a novela “Belmonte” ser nomeada para um Emmy, conseguiu uma surpreendente vitória no concurso “Dança com as Estrelas” e garantiu um papel de destaque na próxima produção da TVI, “A Única Mulher”. A nível pessoal, o ator admite que viveu um período “emocionalmente atribulado”, devido ao fim do namoro com a atriz Sara Matos, mas que “não há nenhum drama e a vida continua”.

Teve um ano fulminante em termos profissionais e atribulado em termos emocionais e pessoais. Que balanço faz deste 2014?
Faço um balanço muito positivo. O ano foi bom para mim a nível profissional. Fiz coisas como o “Dança com as Estrelas”, a novela “Belmonte” e, agora, a novela “A Única Mulher”. A nível pessoal foi, realmente, mais atribulado, mas acho que dá, também, para retirar coisas boas. Faz parte da vida. O que interessa é que estamos todos bem, eu estou bem, não há nenhum drama e a vida continua.

As gravações da novela “A Única Mulher” estão a correr dentro das expectativas?
É uma novela que vai ser uma surpresa. A história é muito forte, o elenco é bom, uns com menos, outros com mais experiência. É um pouco como o que aconteceu em “Belmonte” – há motivação e espírito para fazer uma coisa de que as pessoas gostem e que seja credível. E se isso acontecer, acredito que vai ser um sucesso enorme.

Está ansioso para ir gravar em Angola?
Não é bem ansioso... É algo que vai acontecer, tenho muitas coisas emocionantes para gravar e Angola é um aspeto desse processo. Mas gosto sempre de gravar fora porque vivemos tudo mais intensamente. Estamos dia e noite com a equipa e o elenco e vivemos as coisas de outra forma. Sou sempre a favor de gravar fora e quando tenho essa oportunidade fico contente por isso.

Está nos seus planos ter uma experiência no estrangeiro?
Para já, estou nesta novela e gosto de viver as coisas no momento. Mas o meu objetivo é ter sempre um ano melhor do que o anterior. É sinal de que estamos a evoluir. Eu sou uma pessoa ambiciosa e gostava de ter sempre mais e mais.
Não digo que, a longo prazo, não gostasse de trabalhar no estrangeiro, mas primeiro tenho que ter uma carreira sólida em Portugal.

Como vai ser o seu Natal?
O Natal vai ser só com os meus pais, os meus irmãos e a minha cunhada. No dia 24 vamos à Missa do Galo e os presentes só se abrem de manhã. Nessa altura, vamos todos de pijama a correr para a sala, foi sempre assim.

Que presente gostaria de receber?
Bens materiais, tenho tudo o que preciso, felizmente. Mas gostava que a produção da novela me desse um voucher para uma semana de férias, lá para março (risos).

O que mais deseja para 2015?
Um ano ainda melhor do que este, quer a nível profissional, quer pessoal. Gostaria muito que a novela “A Única Mulher” fosse um grande sucesso e digna de um prémio. Tenho a certeza que, tal como com “Belmonte”, hei de voltar à Academia dos Emmys com esta novela e, agora, se possível, para ganhar. Vamos ver…

Comentários