Artigo

Morreu Filipa Vacondeus

A apresentadora de programas de culinária e gastrónoma Filipa Vacondeus morreu hoje, aos 81 anos, no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, onde estava internada, disse à agência Lusa a sua editora, Liliana Valpaços.

"Ela já estava há alguns meses doente e, a seguir ao Natal, foi internada no Hospital Pulido Valente e hoje [a evolução da doença] terminou da pior maneira", disse Liliana Valpaços da editora Matéria-Prima, onde Filipa Vacondeus publicou vários livros sobre gastronomia, incluindo o último, "Os petiscos da Filipa" (2013).

Apresentadora de programas televisivos de culinária e autora de vários livros de gastronomia Filipa Vacondeus ficou conhecida pelas suas receitas económicas e de aproveitamento de restos.

Considerada uma das figuras mais carismáticas da cozinha portuguesa, nas últimas décadas, teve uma carreira de mais de 30 anos em que esteve à frente de restaurantes, tornou-se presença regular em programas televisivos e editou dezenas de livros entre os quais se destacam "Receitas low-cost" (2009), "As grandes receitas das famílias portuguesas"(2009), "Os truques da Filipa" (2010) ou "Viver mais e melhor"(2012).

As suas prestações como apresentadora de programas de cozinha chegou a inspirar uma das personagens do humorista Herman José, Filipa Vasconcelos, apresentadora do suposto programa de culinária 'Cozinho para o povo', em "O Tal Canal".

Em 2013 regressou aos ecrãs no canal por subscrição 24Kitchen, numa parceria com a cozinheira Filipa Gomes no programa "Prato do Dia". Uma das últimas emissões foi dedicada ao natal.

Antes da televisão e do reconhecimento público, Filipa Vacondeus trabalhou como hospedeira de bordo e secretária de administração.

A editora Liliana Valpaços lembrou que Filipa Vacondeus entrou na televisão com mais de 30 anos, tendo encontrado na culinária uma forma de "'dar a volta' à vida e de se emancipar".

"Chegou à televisão sem ter propriamente o sonho de ir parar à televisão ou de ter feito grandes planos. Conhecêmo-la uma mulher bastante adulta a explicar-nos como se faziam aquelas comidas tradicionais e dos aproveitamentos. Era a pessoa dos aproveitamentos, das receitas simples e baratas", adiantou Liliana Valpaços.

Liliana Valpaços lembra "uma pessoa fantástica", "com uma energia inesgotável", uma grande "vontade de fazer" e uma "alegria de trabalhar com as pessoas mais jovens", nas sessões fotográficas que a editora fazia para os livros.

A editora remeteu para mais tarde informações sobre a hora e o local das cerimónias fúnebres.

@Lusa

Comentários