Artigo

Netflix já chegou a Cuba e quer divulgar cineastas

O serviço de vídeo em streaming Netflix começou a operar nesta segunda-feira em Cuba, apesar de ainda chegar a poucos cubanos pela escassez de disponibilidade de internet na ilha.

Num comunicado difundido na segunda-feira, o Netflix anunciou ter tomado a decisão "num momento em que melhora o acesso à internet e os cartões de crédito se tornam mais acessíveis em Cuba".

"A partir de hoje, as pessoas em Cuba com internet e acesso a meios de pagamento internacionais poderão assinar o Netflix e assistir imediatamente a uma seleção de filmes e séries de televisão populares", informou a companhia no comunicado.

"Estamos felizes por sermos finalmente capazes de oferecer o Netflix ao povo de Cuba, ligando-os a histórias do mundo todo", declarou o co-fundador e presidente do Netflix, Reed Hastings, citado no texto.

O acesso à internet é muito limitado em Cuba e as ligações privadas são rigidamente reguladas pelo Estado, alcançando apenas 4,3% dos lares do país, segundo a União Internacional de Telecomunicações.

O Netflix conta com 57 milhões de clientes em 50 países, entre eles 5 milhões na América Latina, onde opera desde 2011. Hastings disse que a sua companhia espera poder distribuir em breve filmes produzidos em Cuba.

"Cuba tem grandes cineastas e uma cultura artística robusta e esperamos ser capazes algum dia de levar o seu trabalho à nossa audiência global de mais de 57 milhões de membros", esclareceu.

@AFP

Comentários