Artigo

«O Diário Perdido do Dr. Livingstone» é desvendado no National Geographic Channel

Com estreia marcada para dia 14 de dezembro no National Geographic Channel, às 22h30, "O Diário Perdido do Dr. Livingstone" leva os espectadores numa investigação para desvendar os diários finais do explorador britânico.

O documentário especial de uma hora mostra um dos mais importantes momentos da história africana: a terceira e última expedição de Livingstone que, em última instância, levou ao início de uma nova era – o fim do tráfico de escravos em África.

Apesar do sucesso da primeira expedição do escocês, a segunda não lhe sucedeu em grandeza. Como um prolífico cartógrafo vitoriano, Livingstone liderou a sua equipa numa segunda viagem pelo rio Zambeze. Um descuido fatal levou à morte de homens, mulheres e crianças - entre estes, a sua mulher. Na esperança de conquistar a sua reputação e ressuscitar os seus espíritos, Livingstone voltou a África uma terceira vez à procura de uma resposta para um dos maiores mistérios: qual é a verdadeira origem do rio Nilo?

Em "O Diário Perdido do Dr. Livingstone", o especialista Adrian Wisnicki lidera uma equipa de cientistas digitais com o objetivo de revelar uma nova imagem de um explorador assombrado pela sua obsessão de glória pessoal. Com a ajuda de tecnologia de ponta da NASA, Wisnicki e a sua equipa são capazes de decifrar os diários de campo, inicialmente ilegíveis, escritos em antigos papéis de jornal que foram desvanecendo com o tempo. O seu texto original, depois de ter sido reconfigurado para publicação, revela que Livingstone começou a ficar dependente dos traficantes de escravos e da dura justiça que tanto desprezava.

Logo após a morte de Livingstone, é assinado um tratado que acaba com a escravatura em África, um acontecimento pelo qual Livingstone lutou toda a sua vida e não teve a oportunidade de testemunhar.

Comentários