Artigo

«O que eu vejo na TV»: Felipa Garnel

A apresentadora e diretora da revista Lux não gosta de reality shows e acha que “o professor Marcelo está a milhas dos restantes comentadores”.

Quais os seus programas de televisão preferidos?
Tenho uma ligação profunda à TVI e vai ser politicamente incorreto o que vou dizer, mas gosto muito do “Factor X”. Já era um formato que acompanhava nos Estados Unidos e em Inglaterra e o programa de cá está muito bem conseguido e muito bem produzido pela Freemantle. Depois, sou uma consumidora de notícias.

O que é que a faz mudar de canal ou, mesmo, desligar a TV?
Os reality shows, porque simplesmente não me interessam, não me dizem nada...

Gosta de telenovelas?
Gosto. Acho a novela da TVI “Belmonte” fantástica, foi um passo em frente a nível de imagem, fotografia, luz, cenários... Acho o elenco ótimo e o Filipe Duarte dos melhores atores que temos. Depois, quando vem uma novela boa da Globo, como a “Avenida Brasil”, também gosto de ver.

Futebol, costuma ver?
Costumo. Não perco a seleção nacional e, como sou do Sporting, quando posso vejo um jogo. Mas quanto à seleção, não perco!

Costuma acompanhar os telejornais e outros programas nacionais de informação?
Sou grande fã do José Alberto Carvalho enquanto pivô de informação e hoje em dia vejo o telejornal da TVI. Também gosto muito do programa da Judite de Sousa, “Olhos nos Olhos”, com o Medina Carreira. Gosto imenso do José Gomes Ferreira, da SIC Notícias, e do “60 Minutes”.

Quem são os seus pivôs de notícias preferidos?
José Alberto Carvalho, da TVI.

E entrevistadores? Tem alguma preferência?
Não vejo muitos programas de entrevistas e seria injusto apontar alguém... mas acho a Judite de Sousa uma boa entrevistadora e gosto de ver a Clara de Sousa a entrevistar.

Marcelo Rebelo de Sousa, José Sócrates, Marques Mendes ou Santana Lopes. Qual destes comentadores políticos será o melhor?
Marcelo Rebelo de Sousa tem o dom da palavra, é um professor. Fala de tudo para todos entenderem e isso é uma qualidade que muito poucos têm. Depois, é um homem muito culto que sabe muito de muita coisa. Tem um humor sarcástico que apimenta o comentário político e que faz falta. Acho que está a milhas dos outros todos.

Quais os atores/atrizes, nacionais e estrangeiros, que mais gosta de ver em ação na TV?
Acho o Nicolau Breyner um ator fantástico, gosto muito do Filipe Duarte e a Dalila do Carmo é talvez a atriz de que mais gosto.
Internacionais, a Meryl Streep, que tive a honra de entrevistar e que é uma mulher fantástica também fora do ecrã. É uma mulher de uma simplicidade única e de um talento ímpar. Também gosto muito do Daniel Day-Lewis, Dustin Hoffman e Robert De Niro.

Se tivesse de eleger o/a melhor apresentador/a da TV portuguesa na área do entretenimento, quem escolheria?
Sou suspeita, sou muito amiga da Catarina Furtado há muitos anos. Mas tem feito um percurso fantástico e soube dar o salto de menina para mulher, o que é muito importante numa apresentadora. Não ficou naquele registo da “namoradinha”. Acho que ela faz tudo bem feito e tudo com grande profissionalismo e isso nota-se. Gosto muito dela.
Depois, nesta nova geração de apresentadores, acho que ninguém bate a Cristina Ferreira, porque é muito genuína, muito o que é em casa é frente às câmaras, e as pessoas gostam e identificam-se com isso.

Se tivesse poderes para alterar uma coisa que fosse no funcionamento e oferta dos canais nacionais, por onde começaria?
Acho que existe uma enorme injustiça entre as privadas e a RTP, porque a RTP é paga pelos contribuintes e as privadas não têm nada disso. Portanto, têm de lutar de uma outra forma e concorrer na mesma plataforma e acho isso de uma enorme injustiça. Mudava isso de certeza absoluta.

A propósito do Dia Mundial da Televisão, celebrado a 21 de novembro, o SAPO TV tentou saber quais os programas que algumas figuras públicas não perdem no pequeno ecrã. Acompanhe a rubrica "O que eu vejo na TV" ao longo desta semana.

Comentários