Artigo

Oprah diz que não quis acusar a Suíça por incidente racista

Oprah Winfrey explicou que o incidente supostamente racista de que foi vítima numa loja em Zurique não foi uma acusação contra o país e disse não considerar necessário um pedido de desculpas por parte da Suíça.

"Esse incidente na Suíça foi apenas um incidente na Suíça. Lamento que a história tenha crescido tanto", afirmou Winfrey a jornalistas em Los Angeles.

"Intencionalmente, não mencionei o nome da loja e lamento ter dito que era da Suíça", acrescentou a apresentadora.

Numa entrevista concedida ao apresentador Larry King no site Ora.tv, a apresentadora comentou ter sido vítima de racismo numa boutique de luxo em Zurique, onde se encontrava para participar no casamento de Tina Turner.

Winfrey contou que uma vendedora negou-se a mostrar-lhe uma bolsa, afirmando que o acessório "era caro demais" para ela. A vendedora ainda explicou que o artigo havia sido criado exclusivamente para a atriz Jennifer Aniston.

A apresentadora contou ainda a Larry King que teve vontade de rir e comprar a loja toda, mas desistiu porque percebeu que, assim, a vendedora iria receber comissão sobre as vendas.

Oprah Winfrey tem uma fortuna avaliada em 2,8 bilhões de dólares, segundo a revista Forbes.

Contatada pela AFP, Trudie Gotz, proprietária da cadeia de boutiques de luxo Trois Pommes, explicou que tudo não passou de um mal-entendido.

"Minha vendedora é muito gentil. Ela explicou que se tratava de uma bolsa de 35 mil francos e que poderia mostrar modelos mais baratos", afirmou Gotz, acrescentando que vai consultar o seu advogado a respeito da resposta que dará à acusação da apresentadora.

@AFP

Comentários