Artigo

"País Irmão" estreia na RTP1: "Uma comédia luso-brasileira para levar a série"

"Em 'País Irmão', a realidade é bem mais estranha do que a ficção", frisa o canal na sinopse da série.

créditos: RTP1

A RTP vai transmitir, na segunda-feira, a estreia da série “País Irmão”, uma coprodução com a Stopline de Leonel Vieira que conta com o que é descrito como um “elenco de luxo”.

“Há um escândalo que poderá ser revelado e o Governo Português está nervoso. Até que a ministra da Cultura e a sua equipa têm uma ideia louca que, também por isso, poderá funcionar: produzir, em conjunto com o Brasil, a maior e mais espetacular novela de todos os tempos que, tal como o ‘Roque Santeiro’ ou ‘Gabriela’, pare o país e o distraia quando a bomba rebentar”, pode ler-se na sinopse da série.

José e Luís, pai e filho com um passado conflituoso, produtor e argumentista respetivamente, entrarão assim no mundo insano do dia a dia dos bastidores da “Corte Tropical”, sendo obrigados a lidar com atores, políticos manipuladores, fanáticos religiosos, idosos com demasiado tempo nas mãos e, acima de tudo, com eles próprios.

Veja na galeria algumas imagens da série:

"Em 'País Irmão', a realidade é bem mais estranha do que a ficção", frisa o canal na sinopse da série, acrescentando que é "uma comédia luso-brasileira para levar a série".

Realizada por Sérgio Graciano, “País Irmão” conta com atores como José Raposo, Lídia Franco, Maria João Bastos, Nuno Lopes, Virgílio Castelo, Jéssica Córes, Dinarte Branco, António Durães, Margarida Pinheiro, entre outros, no elenco.

Veja o trailer:

No primeiro episódio:

A Ministra da Cultura, Manuela Azedo, tenta encontrar uma solução para desviar as atenções do “caso que não se pode mencionar”. Em simultâneo, somos apresentados à vida de Luís Ávila, um rapaz que experimenta documentar momentos da sua vida com o telemóvel, e o seu pai, José Ávila, um produtor veterano que considera que os seus melhores dias já fazem parte do passado.

Comentários