Artigo

"Por Treze Razões": Selena Gomez e elenco da série fazem tatuagem e dizem "não" ao suicídio

Desde a estreia, a 31 de março, "Por Treze Razões" tem dominado algumas conversas nas redes sociais. Desta vez o centro das atenções são os atores da série da Netflix e Selena Gomez, produtora executiva.

Selena Gomez, produtora executiva de "Por Treze Razões", e os atores Jommy Dorfman (Ryan) e Alisha Boe (Jessica) tatuaram no pulso um ponto e vírgula, símbolo associado à luta pela saúde mental e à importância da prevenção do suicídio, temas centrais da série original do serviço de streaming.

Na sua conta no Instagaram, a atriz Alisha Boe partilhou uma fotografia da tatuagem e agradeceu o apoio dos fãs.  "O Project Semicolon é um movimento dedicado a dar esperança aos que estão a passar por uma depressão, que têm pensamentos suicidas, vícios ou automutilação. Vocês que estão a acompanhar a série e se identificam com Hannah Baker, por favor vejam o vídeo ‘Beyond the Reasons’, na Netflix", escreveu a atriz.

Para muitos dos espectadores, a série pode ajudar os pais a entenderem melhor a vida dos adolescentes, ajudando a prevenir situações mais problemáticas como as que são retratadas na série. No Brasil, por exemplo, segundo os dados revelados pelo Centro de Valorização da Vida ao Huffington Post Brasil, no dia de estreia de "Por Treze Razões", os pedidos de ajuda ou de conversa aumentaram em 100%, com 25 mensagens relativas à série do serviço de streaming.

Inspirada nos livros de Jay Asher, "Por Treze Razões", a nova série original da Netflix, acompanha a história do adolescente Clay Jensen, personagem interpretada por Dylan Minnette, que um dia ao regressar a casa depois das aulas encontra à sua porta uma misteriosa caixa com o seu nome.

Dentro da caixa estão diversas cassetes gravadas por Hannah Baker (personagem de Katherine Langford) – uma colega de escola por quem se sentia atraído – que se suicidou duas semanas antes. Nos testemunhos que gravou, Hannah explica as treze razões pelas quais decidiu acabar com a vida.

Comentários