Artigo

Portugueses partem à descoberta do arquivo histórico da RTP

O presidente da RTP, Gonçalo Reis, afirmou hoje que o arquivo histórico da RTP registou "mais de 145.000 visitas" no dia do seu lançamento, que aconteceu na segunda-feira.

O novo 'site' RTP Arquivos foi lançado na segunda-feira, num evento que contou com a presença do primeiro-ministro, António Costa, e inseriu-se no âmbito das comemorações dos 60 anos da estação pública.

Durante a cerimónia comemorativa de comemoração do aniversário da RTP, que decorreu hoje na sede da empresa e contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, Gonçalo Reis adiantou que no dia do seu lançamento, o arquivo online registou "mais de 145 mil visitas".

Adiantou que o RTP Arquivos é mais um passo na "lógica de inclusão", depois da RTP ter disponibilizado no final do ano passado os canais RTP Memória e RTP Informação na televisão digital terrestre (TDT).

"Os próximos anos serão marcados em Portugal, tal como em todos os demais países, por uma profunda transformação estrutural dos meios de comunicação social. Nas sociedades desenvolvidas a oferta e o consumo de produtos audiovisuais conheceram grandes alterações nos últimos anos, a tecnologia teve o papel decisivo nesta transformação, permitindo aceder aos conteúdos a qualquer hora e em qualquer lugar", afirmou o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, na sua intervenção na cerimónia.

"O serviço público tem obrigação de responder cabalmente a estas mudanças, é uma necessidade evidente de adaptação aos novos tempos, sob pena de não serem captados públicos para os quais o digital é já a forma privilegiada de contacto e consumo de produtos de ‘media’", continuou o governante.

"Em consequência destes novos paradigmas, cabe à RTP fazer a evolução de operador de serviço público de rádio e televisão para operador de serviço público universal de ‘media’ multiplataforma, situando-se na linha da frente da inovação, servindo todos os públicos com uma oferta abrangente e diferenciada que inclua não só produtos generalistas, mas também conteúdos adequados aos vários segmentos de mercado e meios de distribuição", disse.

O governante lembrou que perante os desafios do digital é preciso "não perder de vista, particularmente o serviço público, valores fundamentais" como o pluralismo, liberdade de expressão e informação ou a dimensão objetiva dos direitos fundamentais.

O ministro considerou ainda que a disponibilização do acervo histórico da RTP "democratizou o seu acesso".

Comentários