Artigo

Proposta da RTP para Liga dos Campeões "é a mais baixa de sempre"

O Conselho de Administração (CA) da RTP esclareceu esta quinta-feira que a proposta da empresa para os direitos de transmissão dos jogos da Liga dos Campeões de futebol foi "a mais baixa oferta de sempre".

Em comunicado, a administração liderada por Alberto da Ponte refere que a RTP concorreu "com a mais baixa oferta de sempre, pretendendo oferecer aos portugueses, caso seja vencedora do concurso em causa, os serviços em canal aberto, em radiodifusão e em alta definição", rejeitando que valor tenha sido de 18 milhões de euros, como chegou a ser noticiado.

A posição da administração da RTP surge um dia depois de ter sido noticiado que a empresa tinha garantido os direitos de transmissão dos jogos.

Também na quinta-feira, o Conselho Geral Independente (CGI) da RTP afirmou que a proposta da empresa para a compra dos direitos dos jogos da Liga dos Campeões "foi aceite pela UEFA" e "é vinculativa", pelo que existe um compromisso jurídico assumido.

No comunicado, o CA da RTP "esclarece que não interfere nas decisões editoriais ou de programas a não ser na estrita medida em que, uma vez feitas as opões pelas direções em causa, as propostas lhe são submetidas para aprovação, nomeadamente em matéria orçamental e de observância do contrato de concessão".

A RTP adianta que "o montante oferecido para esta aquisição de direitos está previsto no orçamento de grelha e não constitui qualquer esforço financeiro suplementar para a empresa".

A estação televisiva mostra-se "consciente de que assim cumpre o seu dever de prestação de serviço público caso consiga trazer de volta à RTP os referidos direitos, pois trata-se de uma competição que é legalmente qualificada de interesse generalizado do público".

Garante ainda que está "consciente do esforço que é exigido aos portugueses", pelo que "nunca incorreria em custos extraordinários com a aquisição de programas e entende que, dada a qualidade deste produto televisivo, as receitas publicitárias advenientes da sua exibição permitem dizer que o mesmo é autossustentável".

"Por último, o CA da RTP lamenta a forma inoportuna, deselegante e mal informada como alguns comentários sobre o assunto foram trazidos a público", concluiu.

Hoje, o ministro da Presidência afirmou que o Governo discorda da compra de direitos de transmissão jogos de futebol pela RTP, e deu orientações nesse sentido no passado, cabendo agora ao Conselho Geral da empresa estatal pronunciar-se.

Questionado se o Governo deu aval à entrada da RTP no concurso para adquirir os direitos de transmissão dos jogos da Liga dos Campeões, Luís Marques Guedes respondeu que, "neste momento, por opção deste Governo, foi aprovada já legislação no sentido de desgovernamentalizar as orientações que são dadas à empresa de rádio e televisão".

Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, o ministro da Presidência acrescentou que "existe neste momento um Conselho Geral independente", concluindo: "E eu espero sinceramente que o Conselho Geral se pronuncie sobre esta matéria. Faço votos para que o Conselho Geral não deixe, obviamente, de se pronunciar sobre esta matéria".

@Lusa

Comentários