Artigo

RTP aposta num conceito que junta rádio, televisão e internet

Novidades da programação da RTP2 passam pelos talk shows, humor, desporto, cinema ou informação.

As novas linhas de programação da RTP2, com produção agora centralizada no Porto, assentam num novo conceito da RTP enquanto “enorme plataforma que junta rádio, televisão e web”, destacou hoje o diretor geral de conteúdos da estação pública.

Falando no Porto durante a apresentação da nova oferta do canal dois, António Luís Marinho apontou também a RTP2 como “uma televisão que junta uma série de públicos diferentes e que complementa o canal 1”.

“O que estamos a construir na RTP é uma ampla plataforma de conteúdos que vamos desenvolver cada vez mais”, salientou, explicando que o conceito abrange quer a televisão, quer a rádio pública.

Conhecimento e descoberta, informação especializada, cidadania, programação infantil, cultura e comunicação serão os principais vetores da “nova” RTP2, cuja produção passa a estar concentrada no Centro de Produção do Norte (CPN) da RTP.

Entre as novidades, destaque para o regresso dos programas Falatório e Bairro Alto, este último conduzido por José Fialho Gouveia, que estará “em estúdio para mais noitadas de conversas com figuras que têm algo para dizer sobre si e sobre o que fazem”.

Em associação com a Antena 3 e com a Sociedade Portuguesa de Autores arrancará também o programa Novos Autores, em que, ao longo de uma hora, dois novos autores serão entrevistados por Henrique Amaro e Luís Oliveira, com emissão na Antena 3, RTP2 e Internet.

Na grelha da RTP2 terão também destaque as modalidades desportivas amadoras, as grandes produções do humor britânico e os documentários da National Geographic e da BBBC, mantendo-se a rubrica “5 noites, 5 filmes”, considerada “já parte da história do canal”.

Na área da informação, o espaço 24 Horas transmitirá diariamente, à meia-noite, um bloco noticioso conduzido por João Fernando Ramos durante a semana e por Jorge Oliveira da Silva e Sandra Fernandes Pereira ao fim de semana.

O canal promete também “manter a posta nos projetos dirigidos à sociedade civil, às várias confissões religiosas, às comunidades imigrantes, às minorias étnicas e aos cidadãos com necessidades especiais”.

Neste âmbito, iniciou este mês um novo espaço de programação diário “onde é possível ver uma seleção de projetos dos vários canais do grupo, dirigido a cidadãos com necessidades especiais”.

Em preparação a direção do canal diz estarem ainda “novos projetos de informação onde o empreendedorismo, a inovação, a ciência e a economia terão destaque”.

Uma vez que é no CPN que se encontra a Academia RTP, o maior laboratório de média do país, a RTP2 propõe-se também “transformar uma franja da sua programação num espaço de oportunidade e descoberta de novos talentos”.

@Lusa

Comentários