Artigo

RTP2 celebra Manoel de Oliveira com ciclo especial

A RTP2 presta homenagem a Manoel de Oliveira através de uma programação especial entre 30 de abril e 3 de maio, ao final da noite.

"O Passado e o Presente", "Os Canibais", "Vale Abrãao" e "Um Filme Falado" vão ser exibidos no final desta semana, no ciclo "Celebrar Manoel de Oliveira", e serão ainda comentados por nomes associados ao cineasta, caso de Paulo Branco, Luís Miguel Cintra, Catarina Wallenstein e Ricardo Trêpa.

Programação detalhada:

Quinta feira, 30 de abril:
23h30 – Celebrar Manoel de Oliveira... Paulo Branco, produtor de cinema cuja primeira experiência com o realizador Manoel de Oliveira decorreu em 1981 com o filme "Francisca", aborda o filme "O Passado e o Presente".
23h35 – "O Passado e o Presente" (1972)
A trama gira à volta de Vanda, uma jovem mulher que em vida despreza os maridos para os venerar depois da morte. Um jogo de ficção entre o real e o imaginárioo de uma personagem obcecada por um mundo que já não é mundo. Procura viver o presente com os homens que viveu no passado, com uma memória daquilo que enquanto tinha vida não fez caso.
Este filme foi premiado pela Casa da Imprensa com o prémio de Melhor Realização e Melhor Fotografia. Por seu lado, a Secretaria de Estado da Informação e Turismo considerou Manuela de Freitas a melhor atriz.
"O Passado e o Presente", para além de marcar o regresso de Oliveira, que desde 1965 não apresentava nada em público, assinala por outro lado os chamados «anos Gulbenkian». Assim ficou conhecido o apoio que esta instituição privada concedeu ao cinema português.
Com: Maria de Saisset, Manuela de Freitas, Bárbara Vieira, Alberto Inácio, Pedro Pinheiro, António Machado Ribeiro, Duarte de Almeida, José Martinho, Alberto Branco, Guilhermina Pereira, Agostinho Alves, Pedro Efe, António Beringela, Carlos Sousa e Cândida Lacerda.

Sexta feira, 1 de maio:
23h30 – Celebrar Manoel de Oliveira... o ator Luís Miguel Cintra, um dos mais antigos atores que colaboraram com Manoel de Oliveira
23h35 – "Os Canibais" (1988)
Margarida é uma jovem bela que se apaixona pelo Visconde de Avelede. Uma paixão intercetada por D. João, que odeia o Visconde e não descansa enquanto não o derruba. É no fundo o regresso à tetralogia dos amores frustados iniciado com "Benilde ou a Virgem Mãe", "Amor de Perdição" e "Francisca" que Oliveira aqui faz representar, só que de uma forma diferente.
O filme surgiu por iniciativa de João Paes, que escreveu uma música de ópera, lançando o desafio a Oliveira para fazer um filme com aquela composição. Faltava só encontrar uma história para levar em frente a ideia e então Oliveira pegou num conto de Álvaro do Carvalhal, "Os Canibais", com o qual concretizou o projeto.
Com este filme, Oliveira obteve o Prémio Especial da Crítica - São Paulo 1988, o Prémio L'Age d'Or, atribuído pela Cinemateca de Bruxelas no mesmo ano, e uma Menção Honrosa da Rádio Difusão Portuguesa, através da Antena 1, atribuída em 1989.
Com: Luís Miguel Cintra, Diogo Dória, Leonor Silveira, Oliveira Lopes, Pedro Teixeira da Silva, Joel Costa, Rogério Samora, Glória de Matos

Sábado, 2 de maio:
22h30 – Celebrar Manoel de Oliveira... a atriz Catarina Wallenstein, protagonista do filme "Singularidades de uma Rapariga Loura", que celebra Manoel de Oliveira comentando o filme "Vale Abraão"
22h35 – "Vale Abraão" (1993)
No Vale do Douro, Ema vive com o pai e é educada numa atmosfera de grande sensibilidade poética. Torna-se numa mulher bela e sensual com um irresistível gosto pelas ficções românticas, que acaba por nunca conseguir encontrar plena satisfação junto dos homens, desde logo casando com um médico que nunca amou. Na sequência de uma intensa vida social, Ema vai envolver-se com três homens, sempre numa constante busca de paixões, luxo e desafios, cuja beleza e espírito provocatório lhe vão valer o epíteto de "Bovarinha", uma versão moderna e portuguesa da "Bovary" de Flaubert.
"Vale Abraão" parte da adaptação ao cinema da obra homónima de Agustina Bessa-Luís, por sua vez um exercício literário inspirado na "Mademe Bovary" de Flaubert.
Com: Leonor Silveira, Luís Miguel Cintra, Rui de Carvalho, Cecile Sanz de Alba, Luís Lima Barreto, Diogo Dória, João Perry, Glória de Matos, Isabel Ruth

Domingo, 3 de maio:
00h00 – Celebrar Manoel de Oliveira... Ricardo Trêpa, neto do cineasta que participou como ator em diversos filmes do realizador, comenta "Um Filme Falado", no qual também fez parte do elenco.
00h05 – "Um Filme Falado" (2003)
Rosa Maria, uma jovem professora de História, parte com a sua filha Maria Joana num cruzeiro que se dirige a Bombaim, na Índia, onde se reunirão com o seu marido. Através das diversas cidades onde o cruzeiro para, Rosa Maria vai pela primeira vez conhecer lugares de que falava nas suas aulas, mas que nunca antes visitara.
Por isso, a viagem por Ceuta, Marselha, as ruínas de Pompeia, Atenas, as pirâmides do Egipto e Istambul, é também uma viagem pela civilização mediterrânica, e uma evocação de tudo o que de decisivo marcou a cultura occidental.
Mas nesse cruzeiro, ela vai também conhecer três mulheres que muito a impressionam: uma francesa, empresária de renome; uma italiana, antiga modelo famosa; e uma grega, atriz e professora; e sobretudo o comandante do navio, um americano de origem polaca.
Com: Leonor Silveira, Filipa de Almeida, John Malkovich, Catherine Deneuve, Stefania Sandrelli, Irene Papas, Luís Miguel Cintra

Comentários