Artigo

RTP2, SIC Notícias e TVI24 alteram programação para homenagens a Manoel de Oliveira

A RTP2 alterou a programação prevista para hoje à noite, na sequência da morte do realizador Manoel de Oliveira, enquanto a SIC mudou os conteúdos do canal de notícias e a TVI/24 promete “intensa cobertura jornalística”, hoje e sexta-feira.

A RTP2 incluiu na sua grelha programática o filme “O estranho caso de Angélica”, dirigido pelo realizador em 2010, que irá para o ar às 23h49, após a transmissão dos prémios Sophia, da Academia Portuguesa de Cinema.

Na sexta-feira, a RTP2 irá ainda transmitir, às 23h35, o documentário "Manoel de Oliveira, o caso dele", da autoria de Sérgio C. Andrade (jornalista do “Público”), produzido pela Ideias & Conteúdos para a RTP, quando o realizador comemorou 100 anos.

A SIC avançou à agência Lusa que a emissão do canal generalista se mantém igual, mas será dada à morte de Manoel de Oliveira “toda a relevância editorial nos noticiários” da estação.

Já a programação da SIC Notícias prevista para hoje sofre alterações: às 20h00 será retransmitido um episódio do programa “Perdidos e Achados”, realizado à volta do filme “Aniki Bobó”, de 1942, e, à 1h00, vai para o ar o documentário “Manoel de Oliveira, um homem do norte”, feito em 1995, quando o cineasta tinha 97 anos, informou o canal.

A TVI, por seu lado, promete “assegurar uma intensa cobertura jornalística sobre a morte de Manoel de Oliveira”, com uma emissão especial, a partir das 22h30, a trazer um “olhar aprofundado” sobre a pessoa e a obra, no canal por cabo TVI24.

Durante o dia de sexta-feira, este canal vai ter uma emissão em direto da cidade do Porto, a partir das 14h30, para acompanhar as cerimónias fúnebres, ao mesmo tempo que pretende continuar a seguir as reações nacionais e internacionais à morte do cineasta, logo a partir do Diário da Manhã.

O dia termina com uma última homenagem através da emissão, na íntegra, depois da meia-noite, do filme “Aniki Bóbó”.

O realizador português morreu hoje aos 106 anos, em sua casa, no Porto. Manoel Cândido Pinto de Oliveira, nascido a 11 de dezembro de 1908, no Porto, era o mais velho realizador do mundo em atividade. O último filme do cineasta foi a curta-metragem "O velho do Restelo", "uma reflexão sobre a Humanidade", estreada em dezembro passado, por ocasião do 106º aniversário.

@Lusa

Comentários