Artigo

"Star Wars Rebels", uma série de animação para uma nova geração de fãs

Com a estreia do novo filme da saga "Star Wars" prevista para o final de 2015, a Disney prepara o lançamento, em Outubro, da série animada "Star Wars Rebels", protagonizada por cinco personagens rebeldes. O objetivo? Criar uma nova geração de fãs.

Os novos protagonistas Kanan, Esdras, Hera, Zeb e Sabino são "arquétipos que compõem uma família", como Luke Skywalker, a sua irmã Leia ou Han Solo, contou à AFP o direto artístico da nova série, Killian Plunkett.

Mas a Disney, que comprou em 2012 a LucasFilm e os direitos desta saga por quatro mil milhões de euros, adaptou esses novos personagens com o objetivo de conquistar crianças entre os 6 e os 12 anos, e criar, assim, uma nova geração de fãs.

"Luke Skywalker era muito tradicional, vivia com o seu tio numa quinta", explica o produtor executivo dos desenhos animados, Dave Filoni. "Já Ezra é órfão e preocupa-se em sobreviver" sem a ajuda de ninguém, diz Filoni, para quem esta personagem, valente e solitária, é uma metáfora para "as crianças modernas que passam muito tempo sozinhas, porque os seus pais trabalham".

Kanan será o herói, um Jedi moderno, "um pouco cowboy", com um andar peculiar, que irá enfrentar o Grande Inquisidor, o vilão da série, de acordo com Filoni.

O estilo de "Star Wars" é "uma história que apesar de parecer muito sombria, ao mesmo tempo dá esperança aos espectadores. Tem que ser divertida e oferecer aventuras", explica o produtor executivo.

O processo de criação destas personagens foi longo e complexo, durante o qual a imaginação de toda a equipa de "Star Wars Rebels" foi colocada à prova.

Nos primeiros esboços, por exemplo, Hera aparecia como uma menina gordinha, mas acabou por se tornar numa piloto com cabelos excêntricos verdes, para além de ser a figura maternal da série. Kanan, por sua vez, era loiro, mas tornou-se aos poucos um herói moreno, de ar obscuro.

"Na época de 'Star Wars: Episódio I - A Ameaça Fantasma' (1999) tínhamos uma tecnologia incipiente. Agora aspiramos ter um estilo mais antigo", diz Joel Aaron, responsável pelos efeitos especiais da série, que irá para o ar no canal Disney.

Os movimentos das personagens são mais rígidos, distante de qualquer ideia futurista, enquanto as naves espaciais têm formas geométricas que vão ao encontro das leis aerodinâmicas. As nuvens parecem “algodão doce”.

Todos os objetos e personagens "precisam de parecer um desenho animado", argumenta Keith Kellogg, diretora de animação.

O simbólico sabre de luz Jedi também aparecerá na série de televisão infantil. Para produzir este objeto lendário da série de George Lucas, Aaron reviu várias vezes a famosa batalha entre Darth Vader e o sábio Obi-Wan Kenobi, quando os efeitos especiais ainda eram feitos com pedaços de corda.

Comentários