Artigo

Suicídio de concorrente provoca debate sobre reality shows na Coreia

O suicídio de uma jovem durante as filmagens de um programa muito popular na Coreia do Sul, acusado de ferir a dignidade dos participantes para elevar as audiências, provocou um debate sobre os excessos dos reality shows.

O corpo de Chun, de 29 anos, foi encontrado na quarta-feira no hotel no qual está a ser gravado o programa "Jjak" ("O Casal"), produzido pela SBS, uma das três principais estações televisivas do país.

A polícia informou que a jovem se terá enforcado com o fio de um secador de cabelo. "Não paro de chorar. Tenho sido tão infeliz na vida que quero terminá-la", escreveu a jovem num bilhete de suicídio.

No programa, dez homens e dez mulheres permanecem durante uma semana num hotel, batizado de "Cidade do Amor", onde devem passar por várias provas para encontrar o par ideal. Os três candidatos de Chun decidiram tentar conquistar outra participante.

Os concorrentes do programa, no ar desde 2011, são mostrados num estado de emoção extrema: filmados a comer sozinhos, por exemplo, depois de serem rejeitados pelos potenciais parceiros.

A mãe da jovem afirmou ao jornal JoongAng Ilbo que Chun contou que não poderia viver na Coreia do Sul no caso da exibição do programa. A SBS cancelou a emissão de quarta-feira e pediu desculpas públicas, mas não admitiu qualquer responsabilidade na tragédia. A polícia abriu uma investigação sobre eventuais responsabilidades da estação no suicídio.

Os reality shows são questionados no país pelo seu caráter intrusivo e pela exibição do lado mais obscuro dos participantes.

@AFP

Comentários