Artigo

"Constantine" – 1×06 – Rage of Caliban

Contém SPOILERS!

Com o episódio desta semana, “Constantine” conseguiu provar que é uma série de terror e que merece ser renovada. Há muito tempo que uma série ou filme não me provocava aquele “susto” por ações que eu não estava à espera! Embora não tenha sido um episódio perfeito, foi melhor que o habitual… fez-me recordar os tempos áureos de “Supernatural”, em que os episódios relativos a possessões e espíritos eram efetivamente assustadores!

Começámos com John a acordar ao lado de uma estranha cujo namorado está prestes a chegar. Além da cena completamente deslocada, temos o cliché do amante a sair pela janela com as roupas na mão. Já em casa, Chas tenta convencê-lo a seguir para o próximo trabalho, enquanto lhe comunica que Zed não estará presente.

O episódio desta semana teve os seus momentos bem assustadores! Começou com um assassinato violento onde apenas a filha, ainda criança, sobrevive. Denotamos automaticamente a presença de forças paranormais: o pai paira no ar momento antes da morte e a filha fica com os olhos negros enquanto rebenta uma caneca na presença da polícia. É durante a investigação de John no local que Manny surge com o seu diálogo enigmático… além de mencionar vagamente que necessita de John no comando contra a escuridão em ascensão, relata situações pouco detalhadas da terrível infância do nosso anti-herói. Ao que parece, John teve uma infância infeliz repleta de abusos.

Astuto, John depressa descobre um padrão nos ataques: as crianças possuídas moram na rota das linhas Ley… A dupla apenas tem de queimar frankincense no percurso dessa linha imaginária de forma a descobrir o novo hóspede do malvado espírito infantil. Quando chegam a casa do assustadiço Henry, a criança já evidencia sintomas de que algo não está bem… Por sorte, a mãe do miúdo acaba por perceber e acredita em John, tirando-o da cadeia, já que o seu marido havia-o acusado de invasão de propriedade. Durante todo o episódio, John demonstrou bastante receio que a cena de Astra se repetisse, daí ter agido com bastante cautela. Com a ajuda de Chas e Claire, a mãe de Henry, ainda tentam aprisionar o espírito na casa de Marcello Panneti, a primeira criança de que há registo do ataque, mas tal não resulta.

É na perseguição do pequeno Henry possuído que John percebe que não está perante um espírito vingativo, mas sim da alma de Marcello! Embora ainda vivo, a sua alma desligou-se do corpo dado o ato violento da morte dos seus pais. Após o exorcismo, Marcello recupera a consciência no hospital psiquiátrico e começa a destruir tudo em seu redor! John certificou-se que a alma de Marcello não voltará a evadir-se do seu corpo.

O episódio terminou com John a acender o seu habitual cigarro. Como já referi anteriormente, não concordo com a ameaça de cancelamento de “Constantine”, na minha opinião não passa de uma estratégia de marketing para fazer subir as audiências. No entanto, tenho de voltar a referir que o enredo necessita de ser trabalhado, já que a história de fundo que permite a interligações entre episódios é fraca e, por vezes, não faz sentido.

Questões em análise:

Qual o papel de John nos esquemas celestiais de Manny? Como já referi anteriormente, este anjo deixa-me duvidoso relativamente às suas verdadeiras intenções.
A ausência de Zed foi estranha e mal explicada! Teria ela influência neste episódio? Julgo que sim, já que os seus poderes seriam úteis na identificação do espírito. Continuaremos a ter imprecisões destas no enredo?
Ficámos a conhecer um pouco mais da história de Chas… ele foi abandonado por uma mulher! Para quando a identificação da origem dos seus poderes de ressurreição/regeneração? Outra questão se levanta… ele é mesmo humano?
Para quando uma explicação sobre a origem da ascensão das forças malignas?

Nota: 8.5/10

Rui André Pereira

Artigo do parceiro

Comentários