Artigo

"Once Upon a Time" – 04×03 – Rocky Road

Contém SPOILERS.

Bom, chegamos ao terceiro episódio, aquele em que eu deixo oficialmente de perceber o que raio se anda a passar nesta série. Nas outras temporadas ainda demorou mais uns episódios.

Há uma muralha em volta de Storybrooke e Snow convoca os cidadão para discutir o que anda a acontecer. Como é normal, o esperado acontece. As culpas vão imediatamente para Elsa e as coisas fogem um pouco ao controlo… Até Marian cair no chão inanimada (tal como Anna em Frozen). A reunião dá-se por terminada e a busca pelo responsável intensifica. E se Snow tem uma criança para criar, os xerifes da cidade tomam conta do caso enquanto Hook fica encarregue de proteger a rainha de Arendelle.

David e Emma (não me canso de ver cenas entre estes dois) vão à floresta à procura de pistas. Emma sente está a falhar no seu papel de Salvadora e o pai fá-la ver a razão… Tenho que dizer outra vez que os adoro. Jennifer Morrison e Josh Dallas têm uma química incrível e mesmo tendo praticamente a mesma idade, é completamente credível a relação de pai e filha.

E é nesta perseguição que aparece… tchanam… Will Scarlet! Finalmente. Ele foi o pobre sobrevivente do desastre que foi Once Upon a Time in Wonderland. Apareceu pouco mas conquistou-me logo (não acompanhei o spin-off).

Will Scarlet: Two sheriffs? Bloody hell, that’s not even fair, is it?

É através do ladrão que David e Emma chegam a algum lado (e perdem Will no meio – que volte rápido!). Não esperava que a Dairy Queen (como Emma lhe chamou e achei genial) fosse descoberta assim com tanta facilidade mas ao menos não andaram a enrolar isto durante muito tempo.

Já Elsa e Hook (que obviamente não ouviu Emma e seguiu com o seu próprio plano) vão ter com Rumplestiltksin para determinarem de onde veio a magia que causou a maldição de Marian.

Apesar de não serem os melhores amigos, Hook e Rumple conhecem-se bem e tal não foi o meu choque quando o pirata diz que o feiticeiro nunca chegou a dar a adaga a Belle. Desde quando? Rumple trocou as adagas quando visitou a campa do filho. Será que a chegada de Elsa e de tudo o que seguiu fez Rumple mudar de ideias? Isto vai correr tão mal quando Belle descobrir. E quem é que a poderá culpar?

Elsa e Hook acabam por encontrar a Dairy Queen e confrontam-na e descobrimos que as duas já se conheciam. Uau, as pessoas para aqueles lados adoram feitiços de memória. Pelo que se seguiu no final, atrevo-me a apostar que não foi Anna que colocou Elsa na urna.

Elsa: What is that thing?

Hook: I don’t… It’s a device… for talking. I don’t bloody know. I press the Emma button and she answers. Usually.

Em Arendelle, Elsa tem mais preocupações do que a irmã. O príncipe Hans voltou à carga e quer subir ao trono. E desta vez tem uma ‘arma’ para a neutralizar. Acho Kristoff um fofinho, a sua conversa com Sven foi super amorosa e fez-me lembrar o filme. Também estou a gostar bastante da evolução da sua amizade com Elsa, algo que não tivemos oportunidade em Frozen.

Elsa e Kristoff vão para a montanha para destruir a urna (que podia perfeitamente ter acontecido, mas deu mais jeito irem por outro caminho) mas afinal já havia lá outra pessoa, que descobrimos ser a tia de Elsa. As famílias nesta série são mesmo complicadas, não são? Credo.

Ora bem, Emma e David acabam por encontrar os outros na floresta e descobrimos que a Dairy Queen conhece Emma (a sério?!). O encontro é breve e ela acaba por escapar.

Como é óbvio, Rumple sabe perfeitamente quem é a feiticeira, a sua relação com Emma, o seu plano ali, etc, etc. Mas já devia estar habituada, Rumple sabe sempre tudo. Nós é que continuamos sem saber o que significa aquele maldito chapéu…

Snow está um pouco de parte nesta história toda e fico triste porque é muito melhor quando os Charmings se unem todos para salvar o dia. Sabemos novamente da sua amargura de ter perdido a infância de Emma mas isso não é novidade. Não sei se Ginnifer Goodwin está menos participativa na história por ter sido mãe recentemente, mas gostava de ver Snow com uma história mais interessante, agora que é Presidente da Câmara.

Regina e Henry unem-se pela busca do autor do livro e têm finalmente a sua primeira operação juntos. Adoro! O problema é que Robin Hood interrompe para pedir ajuda para salvar Marian.

Regina é das melhores personagens desta série. Contudo, este triângulo amoroso Regina/Robin/Marian já me dá sono. Não sei se os produtores nos querem dar esperanças para os dois mas sinceramente para mim tanto me faz a este ponto. Regina fica tão boazinha e vulnerável e tão pouco Evil Queen quando está com ele que prefiro que fique sozinha por agora.

Quem finalmente parece andar é Emma e Hook. Até que enfim! Já era tempo de acabarem aquela dança entre os dois.

Tantas perguntas sem resposta… Ou seja, outro dia normal no universo de Once Upon a Time. Que venham mais episódios e mais perguntas para juntar à lista!

Nota: 8/10

Maria Sofia Santos

Artigo do parceiro

Comentários